Friday, December 13, 2013

O meu avô e eu (parte 5) // My grandfather and I (part 5)


Ao longo dos anos habituei-me a ver o meu avô apenas como o meu avô, aquela pessoa com disposição e disponibilidade, com uma vida tranquila e muita coisa para me ensinar com a calma que era sua característica. Mas quando o perdi, pensei muito na pessoa que ele foi e eu não conheci, e naquilo que teve de abdicar para seguir com a vida. O meu avô foi músico na juventude, e tinha talento, mas nunca pode seguir esta ambição. Por vezes fechava-se no escritório com a guitarra e sabia que ali estavam os seus velhos sonhos e aspirações. Tocava para ele e perdia-se num mundo só dele. E recordo-me de ouvir junto à porta as notas soltas.

Throughout the year i got used to seeing my grandfather as just my grandfather, that person always available, with this quiet life and a lot to teach me with his calm voice. But when I lost him, I realized that there was a lot I didn't knew about him, and all he had to let behind to carry on with his life. My gradfather was a musician when he was young but was never able to follow this path. Sometimes he locked himself in the home office with his guitar and I knew that he was surrounded by his old dreams and aspirations. He played to himself, lost in his world. I remember approaching the door to listen.

4 comments:

Lazy Cat said...

Senti a falta de ver o avô nesta imagem.
Achei interessante usares uma porta para o fecho desta "história". Mas gostava mais que a porta estivesse entreaberta, em jeito de reticências (mesmo que na realidade assim não fosse).

Analog Girl said...

Percebo perfeitamente o que queres dizer Lazy, e eu queria muito fazer mais coisas, mostrar mais dele, tinha outras ideias e outras possibilidades, mas esta era muito forte, e aquilo que eu vou desconhecer sempre sobre a vida dele vai permanecer intocado, assim como ele atrás daquela porta.

Cate said...

Oh. Não sabia disso!

Andreia Crociquia said...

Gosto tanto destas tuas memórias. Que desafio e que bom deve ter sido o modo como as recuperaste pintando. Beijinho