Sunday, February 24, 2013

New steps

E pronto, a coisa começou!
Este blog já se pode sentir um menino crescido e com juízo, uma vez que anda aí espalhado pelas redes sociais. 
A página de Facebook já lá está, e aproveitei o balanço e também partilho aqui o meu Pinterest. Sinto que isto das redes sociais é algo complicado para uma rapariga tímida, como eu, mas como disse antes, é altura de deixar os medos para trás. Aproveitei também para remexer aqui no design do blog. Ainda estou a habituar-me a estas mudanças todas, mas estou satisfeita com o resultado até agora. I'm happy! Conto convosco para continuar a crescer e tornar este blog um sítio onde todos gostem de estar.  

Mais frasquinhos

E chegar a casa com tempo ao domingo é sinónimo de fazer qualquer coisa de útil (ainda não é a página do facebook, mas está sob controlo!), então entre algumas arrumadelas aqui por casa, lá descortinei mais dois frascos para decorar e fazerem parte do meu escritório, um para as esferográficas e tesoura e x-acto, que estavam num copinho que comprei numa daquelas vendas de caridade e nunca achei grande piada, e outro para os marcadores e canetas de desenho. Sinto-me tão organizadinha. Além do divertido que é brincar com o vidro e os marcadores brancos, mesmo que a mão me falhe um pouco. Então tenho um com as quatro estações, e outro só às bolinhas. A parte boa, se me aborrecer, basta passar por álcool e começar tudo de novo.





(as fotos não estão a última maravilha, bem sei, mas fiquei tão contente por continuar com estas brincadeiras que não resisti em vir logo partilhar!)

Cheira-me que a Primavera está a chegar



Há cerca de duas ou três semanas que já sinto o cheiro a flores no ar. A Primavera vai-se esgueirando devagarinho e em breve estará por cá. E hoje a passear por um jardim aqui perto tive de me conter para não apanhar uma mão cheia destas. Mas achei que ficam  melhor entregues à Natureza e preferi trazer esta foto comigo.

Saturday, February 23, 2013

Então eu explico




Na quinta à noite fui fazer um workshop de auto-coaching para criativos. O workshop foi realizado no espaço de co-work por uma coach que também é designer, logo senti uma boa energia e a experiência foi sem dúvida muito enriquecedora. 
Estava mais estruturado para quem tem negócio próprio, e a maioria dos participantes eram trabalhadores naquele espaço, mas a verdade é que os de nós que (ainda) não se aventuraram nessa empreitada temos planos, projectos na gaveta, ideias que ainda não são projectos a desenvolver e a explorar. 
E no meio dos exercícios, pensei que o meu foco é essencialmente neste blogue, e em como não sou tão frequente a postar como gostaria, que não ando a fazer aquilo que disse que ia fazer quando o criei (desenhar mais, fazer mais trabalhos criativos, mostrá-los e tentar evoluir). Então no meio de um curto brainstorming acerca das ideias que poderíamos por em prática para ajudar a evoluir o "negócio", a primeira e mais simples foi precisamente, criar a página de facebook. É algo que quero fazer há muito tempo, mas a insegurança, a maior exposição que o facebook permite, assusta-me. Gostava que este blog crescesse, mas ao mesmo tempo é tão pequenino e cozy! Enfim, é interessante enfrentar os medos, e não é que vá desistir do meu emprego para me dedicar ainda-não-sei-bem-ao-quê, mas tenho de perder os medos. 
Então foi aí que a coach nos lançou o desafio: mandem um sms, telefonem a alguém a comprometer-se que numa semana farão um desses items da lista de coisas a fazer. E então surgiu o post anterior, foi a minha maneira de me comprometer, não apenas com uma pessoa, mas com os meus 39 seguidores e visitantes, para não perder a coragem. Por isso, se até 5ª não tiver uma página de facebook do blog aqui divulgada estejam à vontade para me dar na cabeça.

Thursday, February 21, 2013

A todos os que me lêem: estou neste momento a comprometer-me a criar uma página de facebook para este blog numa semana. Depois explico! Bare with me!

Monday, February 18, 2013

Rabiscando


Hoje encontrei um vídeo delicioso, com umas dicas bem excelentes para soltar o traço e descomplicar o desenho. Às vezes custa tanto começar, uma pessoa detém-se no drama da folha em branco, do que quer fazer, por onde iniciar o desenho, qual a perspectiva, queremos mais detalhado ou menos, rabiscamos mais? menos?. Enfim, há todo um drama em perceber onde começar, o que fazer. Desenhar tem de ser aquele hábito diário. Eu bem que ando a preencher o caderno do desenho por dia, mas sei que preciso de mais treino, mais técnica, mais experiências. Há dias em que me apetece fazer algo elaborado, outros em que não apetece fazer quase nada, uns dias uso lápis, outro canetas de feltro, outros esferográfica... não há método e ainda bem, mas preciso de mais. Preciso de uma folha branca à minha espera, preciso de perder o medo de riscar. E de arriscar em coisas diferentes, menos convencionais.
E é mesmo nessa premissa que este vídeo se baseia.
Confesso que cheguei hoje a casa com uma dor de cabeça estonteante, mas não resisti a testar a brincadeira tão simples deste vídeo da Carla Sonheim. Adorei, tenho de a repetir com mais frequência. E adorei o trabalho dela, podem seguir no blog. Sinto que me abriu os horizontes, estou maravilhada.
Agora, abaixo seguem algumas das minhas experiências, fotografadas com luz manhosa e iphone, não estranhem a qualidade. Acho que como a autora, fiquei com a pancada dos elefantes. Dá um gozo enorme fazê-los.


 Elefantes (testei vários, muitos deles ficaram quase iguais, mas isto com treino vai lá)

 Cães (nem com esta liberdade de traço consigo fazer um cão decente)

Tartarugas

E para terminar, um pequeno caracol! :)

Friday, February 15, 2013

Flop

Eu sabia, a inspiração vem quando quer (e completamente incompatível com o meu horário de trabalho) e se eu espero muito acabo por fazer nenhum. Andava eu com ideias para o dia de S. Valentim, mas aquele fim-de-semana preguiçoso e o feriado tiraram-me a vontade e o tempo para avançar com as ideias. Demorei algum tempo a comprar os materiais necessários e depois já não havia hipótese de seguir em frente. Para a próxima mal tenha a ideia tenho mas é de pegar nela e avançar. Lesson learned! Ainda assim as ideias ficaram, já as registei e hei-de dar-lhes avanço noutra fase, e desenvolvê-las aos poucos. A verdade é que mais do que na química e física, na criatividade nada se perde, tudo se transforma. 

(imagem encontrada no pinterest)

Wednesday, February 13, 2013

Sneak Peak: my vintage home

Não sei se já tinha dito antes, mas adoro objectos antigos, com história. O tão badalado vintage. Ando há que tempos para me dedicar seriamente e ir a uma feira de antiguidades com dinheiro para gastar, porque realmente adoro objectos antigos e imaginar por onde passaram, quantas mãos os seguraram, quantos anos a mais que eu têm e quanto mais irão durar. E o que posso fazer para os acomodar em casa. A minha vontade de comprar molduras antigas e pintá-las anda a passear-se pela minha cabeça há meses.
E tenho uma sorte danada em ter as velharias que ninguém da família quer. Ou que aceitem que eu fique com elas porque sou uma perdida pela história dos objectos e gosto deles, mesmo partidos, com a madeira lascada, com pintura desbotada pelo uso e quero mesmo que fiquem em destaque cá por casa. Tenho sorte de ter um companheiro que gosta do mesmo que eu, e cá nos vamos servindo do espólio familiar e vamos compondo a casa com cada vez mais pormenores vintage, que nos deliciam todos os dias.
A luz do final de dia estava irresistível, não consegui evitar tirar fotos dos meus objectos mais preciosos com esta tonalidade amarela que lhes dá uma vida tão própria.


(As nossas máquinas fotográficas. A da direita pertenceu ao meu avô - e tenho fotos minhas tiradas com esta máquina - e a da esquerda comprámos na feira do Príncipe Real. Este recanto ainda terá um print grátis que encontrei nessa net fora mas que ainda não foi impresso para ser exposto)


(A menina dos meus olhos com quase 100 anos, a máquina singer que foi da minha bisa e que muita costura para a minha mãe e os meus tios por lá passou. A agulha que ainda lá está provavelmente ainda foi usada por ela, já me aconselharam a retirar para ser mais seguro, mas como posso fazê-lo? Adoro os mecanismos velhos e enferrujados pelo uso)


(A aparelhagem de fita de um primo que acho que nunca conheci. Toda a minha vida me lembro de a ver em casa dos meus avós sem saber do que se tratava, até muito recentemente quando a minha avó decidiu despachá-la para nós, visto que o P. adora música e este tipo de material. Ainda temos de ir buscar bobines que ainda trabalham, e experimentar ligá-la e ouvi-la. Vai ser um estrondo.)

(A menina dos olhos do P., a clássica Stratocaster que esta semana foi morar connosco por um preço muito acessível. Soubesse eu tocar alguma coisa e também me agarraria a ela, mas gosto de a ver, simplesmente, apreciar o toque da madeira e a evolução do meu rapaz nos dotes musicais.)

Também tenho uma caixinha de costura que foi da minha mãe em miúda, onde estão os botões que colecciono. Ainda vou pedir mais alguns à minha avó. Adoro botões e ainda hei-de arranjar-lhes uso brevemente. Quando voltar às lides da costura, creio. Ficarão para um próximo post.
E por aí? Também namoram os objectos antigos da casa da avó ou nem pensam nisso?

Tuesday, February 12, 2013

Uma pessoa mete uma ideia na cabeça...

E não sossega até a cumprir. Queria eu algo só para arrumar pincéis? Os meus materiais são escassos em comparação com muita artista aí espalhada (eu ainda sou só uma aspirante apenas). E os frascos de vidro que tinha guardado ontem para uma possível utilização começaram logo a ganhar mais significado. Então vá de lavá-los, tirar as etiquetas, limpar, dar uso ao marcador branco e às ideias que já cá andavam desde o curso de natal da Alisa Burke e cá me arranjei. Não está a coisa mais perfeita do mundo, mas foi feito com reciclagem de objectos e cheio de vontade de ter algo único, feito por mim. Agora tenho de arranjar outros do género, com diferentes tamanhos para as canetas de desenho, para as esferográficas do dia-a-dia com tesoura e x-actos à mistura, para as colas... Talvez este seja o início de toda uma nova etapa de redecoração do escritório.





Sobre a falta de inspiração e como recuperá-la, talvez

Andava eu cheia de pica para fazer coisas para o dia dos namorados e o fim-de-semana inteiro fui acometida por uma preguiça gigantesca que mal me arrancou o rabo do sofá para fazer o básico (trabalhinho de dona-de-casa, que esse nunca acaba, como sabemos), e acabei por me ficar pela vontade. Ontem ainda tentei passar na loja do chinês mais próxima para cuscar os materiais baratuchos para as experiências que tenho em mente (a própria Alisa Burke defende que para testar as ideias, não vale a pena usar coisas boas, nada como material acessível para os testes), mas não havia lugar para o carro, estava demasiado frio, eu demasiado mal-disposta para caminhar ao frio e depois enfiar-me numa loja que cheira a plástico, e acabei por desistir e vir para casa fazer sopa.
Hoje já acordei cedo. Um curto feriado, mas confesso que estou com uma certa alegria infantil para ver como corre. Tenho algumas ideias para não ficar parada hoje e estou a ganhar coragem para me levantar e vencer a preguiça. Hoje já fiz os desenhos do dia em atraso, é incrível como uma coisa tão simples como fazer um pequeno desenho, às vezes uma imagem rabiscada e simples do que associo ao próprio dia pode fazer-me sentir que estou a progredir. Vou olhando para trás, para as páginas já riscadas e pintalgadas, algumas com mais detalhe e mais cuidado que outras e vou construindo um mosaico interessante deste ano. E muita vontade em ir mais longe. Estou ansiosa de recomeçar a elaborar os meus diários gráficos, tenho vários cadernos espalhados com vários desenhos, mas sinto que tenho de lhes pôr ordem.
Falando em pôr ordem, conhecem a April Bowles-Olin do blog Blacksburg Belle? Ainda há pouco sugeri os posts dela sobre a arrumação do seu crafts studio à Lazy Cat e lembrei-me de partilhar convosco algumas fotos do espacinho de trabalho desta rapariga. Coisa pouca. Com um espaço assim acho que nunca teria momentos de preguiça. No meu escritório há tanta desordem, tanta roupa espalhada porque é lá que a pousamos depois de um dia de trabalho (e para arrumar é sempre um castigo), tanta coisa misturada porque se eu gosto de ter material de artes, o P. gosta de ter material de som e instrumentos musicais, tudo isto num quarto mínimo. Pode-se imaginar porque é que fico a sonhar com este espaço...


Ok, bastava-me ter um móvel destes para o meu material e seria feliz.






(todas as imagens, são, obviamente da April e podem reencontrá-las no blog)

É de babar, não é? Claro, é extremamente girly, quase levado ao exagero, mas há ali detalhes de arrumação que me enchem os olhos, especialmente na utilização de caixas antigas e objectos vintage. Espreitem os posts 1, 2, 3 e 4 com ainda mais fotos, e as dicas de como organizar um espaço deste género em casa. Pois, eu também queria (suspiro). Mas agora mais a sério, há coisas que quero mesmo por em prática, em especial ter sítio onde colocar pincéis e canetas, anda tudo espalhado em estojos (o que nem é mau, gosto de ter material portátil), mas gostava de ter tudo mais acessível para sentir mais vontade de me sentar à secretária. Especialmente agora que fiquei sem impressora e ecrã extra de computador, vou poder desimpedir um pouco o espaço e repensar na organização do meu escritório. Se a coisa funcionar vou postar por aqui, claro! 

Friday, February 8, 2013

Parceiras de crime




Eu sei que este blog parece estar em constante definição, eu própria não arranjo o tempo que gostaria de ter para o actualizar mais amiúde, mas é sempre bom saber que podemos contar com os amigos para acreditarem em nós e nas nossas capacidades, e ainda nos fazerem desafios para pormos em prática a imaginação e a criatividade. Neste caso, a minha amiga Nicole, que criou a marca Beija-flor, convidou-me para criar uma etiqueta para o dia dos namorados, baseada no conceito do projecto, para decorar os embrulhos para os packs de Dia dos Namorados. 
Para quem não conhece, a Beija-flor é uma marca de bijuteria que produz (para já) colares em silicone, que ficam coladinhos à pele, como uma tatuagem. Eu já tenho o verdinho abaixo e amo o efeito que faz sobre as roupas de inverno, e mal posso esperar pelo calor para o exibir sobre a pele queimada. Conheçam as novidades aqui.

 

Pelo tempo e pela facilidade, optei por fazer uma ilustração vectorial, brincar com cores mais primaveris e claro, muitos coraçõezinhos e padrões girly, que me fizessem sorrir. Claro que já me ocorreram outras ideias, já pensei numa ou noutra correcção e adorava ter experimentado outros materiais, mas estou bastante satisfeita com o resultado. E gosto muito desta coisa de preparar as coisas com antecedência, de pensar no pack, é refrescante experimentar coisas novas, marcas novas... E adorei hoje já ver o resultado final. Quem quiser conhecer a Beija-flor ao vivo e a cores e já agora levar uma etiqueta ilustrada por mim façam o favor de se deslocar a Cascais neste domingo ao MAU - Mercado de Artesanato Urbano. Obrigada à minha querida amiga por esta experiência e oportunidade (e por tantas outras coisas). Estou a adorar ver a marca a crescer e conhecer os bastidores desta ideia inspiradora.

Thursday, February 7, 2013

Corações por todo o lado

Não que o dia dos Namorados me diga alguma coisa. Não sou a maior fã. De vez em quando lá faço um jantar com a minha cara metade, ou tentamos ser fofinhos e dizer coisas bonitas um ao outro e dar mimos extra, mas no geral não temos grande vontade de celebrar. É basicamente um pretexto para ir jantar fora (coisa que muito apreciamos), ou então oferecer prendas foleiras para gozar com o dia (e cedemos ao consumismo na mesma).
Este ano não é excepção. Não há planos. Mas eu fiz recentemente um pequeno postal que me adorei fazer, e a verdade é que vou vendo por essa internet fora montes de ideias giras e dá vontade de por tudo em prática. De repente dou comigo a querer decorar a casa para a ocasião, fazer cupcakes cor-de-rosa, e enfeitar a mesa para uma refeição caseira. Não sei se metade das coisas se vão concretizar, mas não posso deixar esta energia criativa desaparecer e acho que pelo menos um jantar tranquilo em casa vai acontecer. E para isso tive uma ideia que quero muito testar. E é engraçado, que ainda nem pus as mãos à obra mas a ideia multiplica-se dentro da minha cabeça e já penso nas várias possibilidades de pô-la em prática. Este fim-de-semana vou ter entretenimento. Me aguardem.

Wednesday, February 6, 2013

Eu, histérica.

Quando li este post da Art&Soul.
Adoro o trabalho do Oliver Jeffers, é provavelmente o meu ilustrador favorito, e pumbas, eis um vídeo sobre o seu método de trabalho, o seu dia-a-dia, os seus hábitos criativos, todo ele num embrulho bem catita de sentido de humor e boa onda. Curiosamente este filme fez-me lembrar o livro da Camilla Engman que ainda não tenho mas já tive o prazer de folhear, e também todo ele é ideias, humor e inspiração. 
Uma excelente forma de pontuar a quarta-feira. Mudou o meu mood para o dia.

Obrigada pela partilha, Art. Que delícia de vídeo! Não resisto a partilhar também.

Monday, February 4, 2013

Feira do CCB. Viva o artesanato urbano!

Ontem acompanhei uma amiga à Feira do CCB. Foi esta mesma que partilhou a banca em Dezembro para que pudesse vender enfeites de Natal. E então lá fui com ela vender andorinhas e galos de Barcelos. Para quem não conhece, o projecto dela, a Utopia inside the box tem por objectivo focar-se  nos tradicionais ícones portugueses (como os galos de Barcelos, andorinhas e Santo António) e dar-lhes um novo rosto, uma nova imagem. Tem coisas lindas, e realmente é interessante ver um projecto a nascer de raíz e vê-lo a desenvolver-se. Vocês já viram algumas aqui, mas não deixem de se tornarem fãs da página do facebook, que merece muitíssimo a pena. Especialmente com as notícias que eu já soube de antemão e que prometem novidades apetitosas em breve.

Ir a feiras de crafts é uma experiência altamente enriquecedora. Tirando a parte em que me sinto uma groupie (a primeira vez que vi a Ana Oliveira desfiz-me em elogios e vénias, e ontem cruzámo-nos umas poucas vezes e fiquei sempre com vontade de lhe sorrir e voltar a sublinhar que AMO o trabalho dela).
Uma vez que estava ali sem um interesse específico para mim, e para além da converseta mais ou menos séria que ia mantendo com a minha amiga ao longo do dia, limitei-me a absorver a inspiração onde a encontrava, a conversar com outros artesãos, a admirar o trabalho deles, a comprar algo (acho que é sempre um gesto bonito comprar-se algo aos vizinhos - não a todos senão uma pessoa desgraça-se, embora vontade não falte). Foi assim que ontem conheci dois projectos que me animaram e inspiraram.
Um deles, o Chalk Loves you, é já algo que gostaria de fazer em algumas peças lá por casa, pintar zonas em frascos e loiças váras com tinta de ardósia para poder escrever e utilizar os objectos de uma forma mais lúdica e diferente (é um projecto já bem corrido no Pinterest), mas devo admitir que é preciso muita paciência e imaginação para lançar a colecção que estas meninas lançaram. Tinham um expositor fantástico e ideias de utilização do material eram excelentes. Saí de lá sem levar nada, mas namorei longamente os bules e um dia destes acho que lhes vou fazer uma encomendinha.
O outro projecto que adorei, é o da Art by Lis Gonçalves, quadros coloridos e muito harmoniosos representando ícones Portugueses e Lisboetas em especial (eléctricos, guitarra portuguesa, corvos...). Aqui não resisti e levei uma reprodução da varanda lisboeta para casa e a guitarra ainda vai morar para lá também... :)

(imagem retirada do facebook da Lis)

Não tenho fotos nenhumas do dia em si, estava demasiado ocupada a congelar porque ficámos à sombra e ao frio, mas é sempre um dia em cheio e um ambiente fantástico para se viver.