Friday, May 31, 2013

Ainda falta mais de um mês, mas... // It's more than a month away, but...

Já penso no meu aniversário. Não sei ainda se vou fazer grande festa, afinal calha a meio de uma semana (numa quarta-feira, dia que já não gosto por defeito), no fim-de-semana seguinte tenho a Color Run, e nessa altura devo estar mais ansiosa por férias do que agora, mas se tivesse uma paciência gigantesca, gostava de fazer algo temático, assim como na imagem... :)
Alguém adivinha o tema desta festa? Vejam aqui os freebies. Seria algo de espetacular, não seria?

I'm already thinking about my birthday. I'm not sure if I'm throwing a party, after all my birthday it's on a wednesday (the most dreadful day of the week), and the next weekend there will be the Color Run, and by then I must be much more anxious to go on vacation, but if I'd get really patient, I'd like to do something thematic, like on this picture... :)
Anyone guesses the theme? Check out the freebies here. It would be awesome, wouldn't it?

Thursday, May 30, 2013

Como uma semana melhora em 7 actos ou menos // How to improve a week in 7 acts or less

1- Adormecer agarradinha ao meu moço porque as noites esfriaram
2- Ir à minha cardiologista e ver que vou melhorando aos poucos e vou começar a reduzir a medicação
3- Fazer muitos desenhos e andar cheia de entusiasmo em continuar a fazê-los
4- Ir à feira do livro com a minha bff que está em Lisboa esta semana 
5- Estar a ser super produtiva no meu trabalho, o que não é fácil com o desânimo geral que se vive (I rule!) 
6- Ter uma aula de yoga fenomenal
7- Receber uma encomenda da wook porque andei a aproveitar vales de desconto e agora tenho toneladas de livros para ler (hei-de falar sobre isto em breve)

1- Fall asleep spooning with my love because of the cold nights
2- Going to my cardiologist and see that I'm improving and beginning to reduce my medication
3- Drawing a lot and keep feeling enthusiastic about it
4 - Going to the Lisbon Book Fair with my bff who is visiting
5- Being super productive with my work, which isn't easy with all the discouragement that we have in the office (I rule!)
6- Having a great yoga class
7- Getting a book order taking advantage of some discount vouchers I got and having tons of new books to read (I'll talk about this sometime soon)

Tuesday, May 28, 2013

Desenhar, desenhar, desenhar //Draw, draw, draw

Um desafio no coaching está-me a ajudar a recuperar algum do ânimo perdido na semana passada. A proposta foi simples: um desenho por dia. Para me mexer, para desbloquear, para me descobrir um pouco mais. A verdade é que ultimamente o desenho vai-se tornando cada vez mais no meu tónico diário. Perco-me nos traços que faço, um desenho leva a outro, uma técnica dá vontade de testar outra, e dou por mim cheia de entusiasmo. E faço mais que um desenho por dia. A semana passada, numa tentativa de fazer um diário alimentar para começar a perder peso, entretive-me a desenhar parte das minhas refeições diárias (faz parte da minha estratégia para me interessar na comida saudável, desenhá-la, e parece que está a funcionar). Mas no domingo andei a contar os dias e resolvi ressuscitar os cadernos de "uma palavra por dia" e "um desenho por dia" que estavam abandonados desde Março. A palavra foi fácil de recuperar, os desenhos nem por isso, mas ando a motivar-me a lá chegar, e se os primeiros desenhos eram toscos e rápidos para preencher os quadrados, ontem fiz cinco quase sem dar por isso, mais elaborados e detalhados. A quantidade nesta altura é importante, mas é incrível como em dois dias de insistência começo a recuperar pulso e a desenvolver o meu traço. 

A coaching challenge is getting me back in my game, since I lost my willpower last week. It was a simple proposition: a drawing a day. To get me moved, to unblock, to find out more about myself. The truth is lately, daring is becoming my daily tonic. I get lost in the traces, a drawing leads to another, each technique leads to try another one, and i find my self overflowing with enthusiasm. And I'm making more than one drawing a day. Last week, I started to write a food journal to try to loose some weight, so I drew some of my meals (it's part of my strategy to continue focused on the diet and it seems to be working). But on sunday I started counting the days and recovered my "a word a day" and "a drawing a day" notebooks, untouched since March. The word was easy to recover, but the drawings are not that simple, but I'm motivated to get there, and if at first I started make fast and simples drawings to get it over with, yesterday, almost without noticing it, I made five drawings, more detailed and complete. Quantity is really important right now, but it's amazing how in 2 days insisting I'm recovering my capacities.

(Capa do meu "food journal" tomate, quinoa e queijo feta // My food journal cover, tomato, quinoa and feta cheese)
(Alguns desenhos e experiências // some drawings and experiences)

(uma floresta // a forest)

Monday, May 27, 2013

Em jeito de desabafo... // Just to unburden

(via)

A semana que passou foi dura, muito dura. Fisica e emocionalmente. Muitos eventos complicados e tristes que não queremos ver outro fim senão um feliz (e para lá caminham, mas a passos de bebé). Muito trabalho e muito cansaço, e muito pouca motivação para fazer as coisas avançar. Muita coisa ficou pelo caminho, encontros com amigos e família, e hoje sinto mais que nunca o síndrome de segunda-feira. Precisava de outro fim-de-semana para descansar deste. Mas apesar do sono, da fome (ainda não tomei o pequeno-almoço) e da alergia, não vejo outro começo possível para esta semana senão com optimismo e força de vontade. Uma coisa de cada vez e tudo se faz, como me ensinavam os meus pais quando tinha demasiados trabalhos de casa. Este blog voltará à programação normal muito brevemente.

Last week was hard, really hard. Physically and emotionally. Lots of complicated and sad situations for which we don't want to see anything else than a happy ending (and it will get there, baby steps). Lots of work, and fatigue, and very little motivation to make things move. Lots of thing remained undone, meetings with friends and family, and today, more than ever, I have "I hate monday" syndrome. I need another weekend to rest from last weekend. But even though I'm sleepy and starving (didn't have breakfast yet) and my allergy, I see no other start for this week than with optimism and willpower. One thing at a time and everything gets done, just like my parents used to tell me when I had too many homework. This blog will return to it's regular programming very soon.

Tuesday, May 21, 2013

Reaproveitar // Repurpose




Este foi o fim-de-semana de colocar em prática um pequeno projecto de DIY (do it yourself) que tinha em mente desde que há pouco mais de um mês fui arrumar as tralhas na garagem do meu pai e descobri uma velha caixa de disquetes velhas. Visto que não me apetecia deitá-las fora, resolvi transformá-las em bases para copos, que é algo que faz alguma falta lá em casa.

This was the weekend to put to practise a little DIY project I had in mind since one month ago I went to clean my father's garage from old junk, and found out a box of old diskettes. As I wasn't going to throw them away, I decided to turn them into coasters, which is something always missing at home.

Materiais: 
disquetes, cartão, feltro, tesoura, x-acto, cola branca, 1 pincel

Materials:
diskettes, a piece of cardboard, felt, scissors, paper-cutter, white glue, 1 paint brush


Primeiro retirei os autocolantes e limpei as disquetes o melhor possível.

First, I peeled off the stickers and cleaned up the diskettes.


Depois fiz um molde em cartão...

Then I made a cardboard mold...

E transferi-o para o feltro.

And transfered it to the felt.
 
Espalhei a cola num dos lados da disquete com um pincel.

I spread the glue in on of the diskette sides with the brush.


Cuidadosamente, colei o feltro.

I carefully glued the felt in place.

E recortei o excesso com o x-acto.

And cut off the extra felt around with the cutter.


E depois repete-se nas outras. Et voilá!

And then repeat on the rest. Et voilá!

Sunday, May 19, 2013

E também... // And also...

Voltei a brincar com feltro. Um projecto simples, pequeno e fácil. Mais notícias em breve. (foto tirada pelo P.)

I got back to work with felt. A simple, tiny, easy project. More soon. (photo by P.)

Este fim-de-semana... // This weekend...

Desenhei mais pássaros. (foto tirada pelo P.)

I drew more birds. (foto by P.)

Friday, May 17, 2013

Blog love

Taking Notes. O blog fetiche do momento. É que estou apaixonada. Já tinha esbarrado nele há pouco mais de um ano, mas não dediquei muito tempo. Apercebi-me vagamente que a autora, a Kristin, se tinha mudado para uma casa gigantesca no campo e lembro-me que fiquei fascinada com os planos de decoração e utilização do espaço enorme que tinha pela frente (mais uma vez, espaços grandes, o que fazer?) e todo o facto de viver no campo. Aproxima-se tanto dos meus sonhos!
E há uns tempos resolvi retomar a leitura com mais frequência e a verdade é que estou viciada. Tive que ir ler os posts antigos e acompanhar o seu percurso e sinto que temos bastante em comum. Adoro este blog e adoro a evolução das suas ideias. E as fotos tão bonitas que tira. 
Sempre que a leio sinto-me uma convidada na sua casa, sinto que posso entrar à vontade, aconchegar-me no sofá com os gatos ou relaxar no jardim numa tarde quente de domingo. Fica a sugestão se gostam de decoração, de fotografia e de sonhar com a vida no campo. Não me canso de o ler. Aqui vão umas fotas, todas do blog.

 





Taking Notes. My fetiche blog. I'm in love. I've come across it a year and something ago but back then I didn't explore it much. Just had the vague idea that Kristin, the author, had just moved to a big country house and I remember being fascinated with all decorating plans for using the huge space she had in front of her (once again, I'm talking about big spaces, what to do?), and the fact that she was living in the countryside. So close to my dreams!
Sometime ago I decided to resume the reading of the blog more frequently and I got hooked. I had to go and read it right from the start, keep up with her and I feel we have a lot in common. I love this blog and love the evolution of her ideas. And the beautiful pictures.
Everytime I read it, I feel like I'm a guest in her house, that can enter at my will, cozy up on the couch with her cats or relax in the garden on a hot sunday afternoon. Here's the suggestion, if you lake decoration, photography and daydream with a country life. Can't get enough of it. All photos borrowed from her blog.

Thursday, May 16, 2013

Pretty pretty birds

Quem me conhece sabe que tenho uma ligeira fobia a pássaros, mas tenho de admitir que dão um gozo enorme a desenhar e ficam sempre bem em composições visuais. E ando com uma certa vontade de os desenhar, de explorar as possibilidades. Então deparei-me com esta ideia no pinterest. E tive de a testar. Sei que não ficou particularmente original, mas é uma experiência como qualquer outra. E não há nada como testar as técnicas por nós próprias antes de evoluir para um estilo próprio. É maravilhoso ver manchas tão simples e básicas ganharem forma e vida. E aqui estão os meus pintaínhos.

Anybody who knows me, knows that I have a light phobia about birds, but I have to admit that they're fun to draw and always fit well in any visual composition. And i've been having this urge to draw them and explore the possibilities. So I found this idea on pinterest and I just had to try it out. I know it's not particularly original, but is an experience as any other. And we do need to test things for ourselves before finding our own style. It's wonderful to see those simple ink smudges get shape and life. And here are my little chicks.


Friday, May 10, 2013

Look Up!

Acho que nunca comentei isto convosco, mas confesso que tenho uma paixão por tectos altos. É curioso, já percebi que muita gente acha que torna uma casa fria e despida, mas eu acho precisamente o contrário. Mais parede significa mais possibilidades. Está bem que limpar o pó não deve ser fácil (especialmente se isso implicar estantes altas cheios de livros, com que eu sonho acordada), mas adoro, especialmente as casas antigas, com janelas rasgadas e muita luz. Aliás, quando era miúda e ia aos consultórios médicos de Lisboa, aqueles instalados nos prédios antigos, adorava imaginar como seria se aquelas casas fossem minhas, como é que a decorava. Esta paixão deve surgir de eu já ter tido um quarto num sótão alto, e ser ligeiramente claustrofóbica, por isso adoro espaços largos e amplos. E devem ser um desafio de decoração. Aqui vão alguns dos meus favoritos que podem encontrar no meu Pinterest... 

I guess i never commented this before, but I confess that I have a huge passion for high ceilings. It's curious, I realized that many people thinks that it makes a home cold and naked, but I feel exactly the opposite. More wall space means more possibilities. Ok, dusting must be hard (specially if there are big bookshelves full, of which I daydream about), but I love it, specially on old houses, with big windows and lots of daylight. By the way, as a kid, I would go to doctor's office's in old buildings in Lisbon and loved to imagine how I would decorate it if it was my home. This passion probably comes from having had my room in an attic some years ago and my claustrophobia, it explains my love for big, wide spaces. And it must be a Decorative challenge. Here are some of my favourites from Pinterest...

(via)






 


(Batixa)

Ainda assim, adoro a minha pequena casa. Também um desafio, ainda maior, se possível. E tenho andado a imaginar mil coisas diferentes para a enriquecer. Um dia, com tudo arrumadinho, hei-de fotografá-la decentemente e mostrá-la.

Still, I love my small apartment. It's also a challenge to decorate it, an even bigger one, And I have been imagining thousand different ideas to improve it. Some day, when I tidy up everything decently, I'll take some photos to show you.

Tuesday, May 7, 2013

Acreditar // Believe

Este post no Look a day fez-me pensar um pouco. Como testemunhei nos comentários do blog, houve um dia há uns anos em que tudo me parecia negro. Estava a atravessar uma fase muito complicada, sentia-me esgotada, desajeitada, gorda. E na altura trabalhava em Lisboa e apanhava transportes públicos. Apanhei o autocarro para o Cais do Sodré depois de um dia cheio de desalento no trabalho e fiz o percurso sob uma nuvem negra de depressão. Até que quando me vi no comboio rumo a casa percebi que não podia ficar naquele estado de depressão e fraca auto-estima. E fiz o discurso para elevar a auto-estima. Disse-me tudo, que era bonita, que o meu cabelo é espetacular, que posso ter uns quilos a mais mas tenho formas e sou jeitosa na mesma, que faço covinhas quando me rio, que sou generosa, que fui uma influência positiva nas pessoas da minha família, enfim... tudo o que me lembrei que fiz de bom, das minhas qualidades a vários níveis, e claro, atributos físicos que me lembrei. Revisitei velhos elogios que não tinha ligado importância e repeti-os até me cansar. Bajulei-me até à última. E quando cheguei à minha estação (numa viagem de 15 minutos sensivelmente) a nuvem negra dissipou-se e senti-me mais em paz. Sou um ser humano válido, como qualquer outro, mas toda a minha vida me esqueço disso, é mais fácil deixar-me inferiorizar. Nota mental: não deixar que isso aconteça outra vez.
Enfim, este discurso todo para me/nos lembrar que por vezes temos mesmo de reeducar o nosso cérebro. Depois de ler o dito post peguei numa folha no meu caderninho do coaching e decidi fazer uma curta lista de frases positivas que não me quero esquecer e que deveria repetir a mim mesma diariamente. Por exemplo, fiquei mesmo contente por ter terminado a ilustração do post anterior, mas logo de seguida pensei que deveria melhorar a minha técnica, que se calhar podia fazer algo melhor, enfim. Tive de fazer um esforço sobre-humano para me sentir contente por ter ultrapassado esta primeira barreira. Talvez para o ano já consiga fazer algo fenomenal para o dia da mãe, mas para já, é fenomenal que eu tenha começado. Nunca devemos subestimar o esforço que fazemos. E eu estou contente com o passo que dei esta semana. Fiz algo que já não fazia há anos, com o esforço e a entrega que já nem sabia que tinha em mim. E isso é muito importante. Vamos não nos esquecer disto. E se me ouvirem em discursos derrotistas da treta dou-vos autorização para me pregarem um calduço ou uma belinha para eu acordar para a vida.

This post on Look a day blog made me think for a while. Has I witnessed on the blog comments, there was a time, some years ago when everything looked dark. I was going through a complicated phase, I felt drained, clumsy, fat. Back then I worked in Lisbon, and I used the public transportation. I caught the bus to the train station after a very sad day at work, with a black cloud of depression over me. When I arrived to the train back home I realized that I couldn't submit to the depression and low self-esteem. So I gave myself the "lift-you-self-esteem-speech". I told myself everything. That I was pretty, that I had great hair, that I might be a little overweight but I have nice curves, that when I smile I get dimples on my face, that I'm generous, that I have been a good influence on my family, well... everything good I could remember I've done, my qualities, and of course, physical attributes. I remembered old compliments that I didn't pay attention first and repeated them until I got tired. I flattered myself to the limit. And when i arrived to my stop (15 minutes later, maybe) the black cloud had disappeared and I felt peaceful. I´m as valid as another human being, but I forget about it all the time, and it's so easy to feel inferior. Mental note: don't let that happen again.
This speech to remind myself/us that we really need to reeducate our brains. After reading the linked post I took my coaching notebook and decided to make a shortlist of positive sayings that I don't want to forget and that I should repeat daily. For instance, I got really glad for finishing my illustration from the earlier post, but soon after I thought that I should improve my technique, that maybe I could do something better. I had to work hard to just feel happy for making the effort and finally crossed this firts barrier.  Maybe next year I'll do something phenomenal for mother's day, but for now, it's phenomenal that I started something. Never underestimate our effort. And I am glad with this week's huge step. I did something I haven't done in years, with the effort and dedication that I didn't knew I still had in me. And that is important. Let's not forget it. And if by chance you "hear" me talk sucking defeatist speeches I authorize a good slap so I can get back on my feet. 

Sunday, May 5, 2013

Home is our mother's heart


Meti na cabeça que precisava de fazer uma ilustração. Precisava de algo com significado, com uma finalidade. E disse-o à minha coach, este era o meu próximo projecto, precisava de construir algo desde o início.
Então escolhi este dia. Como uma homenagem, uma lembrança da minha mãe. 
E por onde começar? Queria que o dia da mãe fosse o dia da minha mãe, daquilo que sinto e que é só meu, as minhas recordações dela. Então lembrei-me de que ela era o meu porto seguro, a minha casa, onde eu era criança e aprendi a crescer. Cuidava de mim, de que eu estivesse sempre bem vestida e alimentada, ajudava-me a aprender e a superar os momentos difíceis, ajudava a curar-me as feridas (as superficiais e aquelas do coração), que me ouvia com paciência infinita, mesmo quando o assunto não lhe interessava. E a porta do coração dela está sempre aberta para mim.
A morte dela fez-me adulta. E não voltei a morar naquela casa, apesar de continuar a sentir-me segura. A força do amor dela perdura dentro de mim. E hoje é o dia dela. Da minha mãe.

I had the thought that I needed to make an entire illustration. I needed something with significance. And so I told my coach this would be my next project, something I would create from the begining. So I chose this day. Like an homage, a reminder of my mother.
But where to start? I wanted this mother's day would be my mother's day, of my feelings towards her, and my memories of her. Then I remembered how she was my safe spot, my home, where I could be a child, learning to grow. My mother would take care of me, dress me, feed me, helping me learn and supporting me in difficult times, helped to cure my wounds (the superficial ones, and those of the heart), listened to me with infinite patience, even if she didn't care about the issue. And the door to her heart is always open to me.
Her death made me a grown woman. And I never lived in that home again, although I still feel safe. The strength of her love lives on within me. And today is her day. My mother's.

Friday, May 3, 2013

Red lipstick day



Eu não sou miúda de fugir a desafios. Ainda um tão giro como este. Agora vou trabalhar a tarde toda no meu projecto com os lábios vermelhos. Sentir-me-ei mais sexy?

I'm not a challenge skipping girl. Specially one as fun as this. Now I'll dedicate myself to my project with red lips. Will I feel more sexy?