Monday, August 24, 2015

Welcome to the jungle


Eu prometi, eu cumpro. Demorei alguns dias a fazer umas fotos decentes do escritório/quarto de arrumações/depósito de papéis, mas cá estão elas. Agora que olho com atenção, vejo que não aparenta estar tão desarrumado como realmente está, o que é bom. Tinha uma foto altamente comprometedora do topo da secretária, parcialmente coberta de materiais diversos, post-its, papéis por arquivar, cabos do monitor, molduras cobertas de plástico, revistas, coroas de papel, o computador... Não vos mostro porque à última hora acobardei-me.

Ainda ando a fazer um levantamento do que preciso para fazer uma mudança em grande aqui. Mas as ideias já chovem e quantas mais ideias tenho, mais olho para a minha carteira com pena e mais difícil fica perceber para onde me virar.



No entanto, tenho já aqui à mão uma ideia breve dos primeiros passos a dar:

1- Furar e arquivar papéis. Não custa nada, tenho um furador, tenho os dossiers à mão, tem ar de ser coisa rápida (uma confissão descarada, nunca sei onde tenho quais papéis e nunca tenho paciência para andar a procurar, daí atrasar-me tanto com isto. É parvo, eu sei)

2- Livrar-me do ecrã de computador. Nunca o uso, já houve fases em que nem sequer se liga, não tenho o adaptador para o computador, não sei porque me agarro a ele. Está na hora de me livrar dele de uma vez por todas.

3- Organizar as tralhas da secretária, tenho novos copos de vidro para transformar em copos de canetas/pincéis/etc., tenho algures um tabuleiro para papéis que tenho de desenterrar (provavelmente está na arrecadação do meu pai), e tenho de inventar um suporte para algumas coisas pequenitas, como clips e post-its, e essas pequenas coisas.

4- Deitar fora o que não interessa, e criar prioridades de arrumação de alguns materiais. Dou comigo a ter tanta coisa espalhada e não uso nem metade, a ideia seria colocar o excedente na arrecadação (toda uma nova história de arrumações), e ter por perto apenas o essencial. Este móvel branco parece mais ou menos arrumado, mas metade do que o preenche não faz ali nada. 

5- Módulo de gavetas, sim ou não? Por um lado dá muito jeito, por outro, é mais fácil acumular tralha. Ainda não decidi. 

6- Arranjar uma cadeira de uma vez por todas em vez do banco da cozinha

7- O armário, feio que só ele, vou ter de arranjar uma solução para aquela lateral castanha e sem piada. Na verdade já tenho uma ideia, mas ainda não a quero revelar... 

8- Mais arte, mais inspiração pendurada nas pareces. Comprei uma revista Flow nas férias que trazia boas ilustrações como bónus e que terei toda a vontade e prazer de emoldurar e pendurar por aí. Não sou a única a achar as paredes um pouco nuas, pois não? Especialmente acima da secretária, que tédio...



Quero acreditar que com um pouco de paciência a coisa dá-se. Infelizmente o tempo e vontade de me mexer não abundam por estas bandas nestes dias (acho que se nota pelo abandono do blog), mas acredito que passo a passo chego lá. Já tenho alguns planos, e há dias em que acordo a pensar em mais soluções para me orientar novamente neste espaço e fazer dele um lugar onde quero estar e criar novamente coisas bonitas. Tenho uma lista de compras e vou pensando onde quero encaixar o quê. Só falta passar à acção.
Wish me luck!

Friday, August 14, 2015

"Aquela" sensação

Não sei se é de ser sexta e de ter sobrevivido à primeira semana de trabalho pós-férias, se é por ter recebido um desconto de 10% no Book Depository e estar prestes a fazer mais um investimento literário (ou dois), se é de ir logo ao cinema e aproveitar para comer pipocas que adoro e ando há meses a desejar (mas prometo que como baixinho menina Guilhim, que eu cá não gosto de incomodar as pessoas, mas também não quero passar sem a minha guloseima pela qual suspiro há vários meses :P). Não sei se é de ter tomado a decisão de me mexer e dar uma volta à minha vida, mas estou com "aquela" sensação.

Não sei se também vos acontece, mas é uma espécie de euforia que aparece, e a sensação é de que tudo pode acontecer, de que tudo vai acontecer, um entusiasmo parvo e inexplicável. As energias remexem à minha volta e quase sinto a pele a vibrar. Não sei se algo está para acontecer ou é só de mim, ou se preciso só de dormir um pouco mais que o meu mal é sono e hoje já bebi dois descafeínados. Mas é óptimo terminar a semana com esta sensação, tão rara e familiar.
Bom fim-de-semana!

Wednesday, August 12, 2015

Uma casa na árvore

Se são como eu e cresceram rodeados de bandas desenhadas do Calvin & Hobbes, o Cebolinha e a Luluzinha, e desenhos animados da família Robinson ou dos Simpsons, então estão carregadinhos de lembranças de casas em madeira, em cima de árvores (ou por vezes não), onde os miúdos podem ser miúdos e viver aventuras sem que ninguém interfira.
Se há algo que cheire mais a infância e ao imaginário infantil do que uma casa na árvore, eu não conheço. E sempre quis ter uma, ou visitar uma quando percebi que não a ia ter. E podia ser já esta aqui...

 


(A-M-O esta mesa)



Estou em crer que era capaz de passar umas férias ali. Mais imagens para sonhar no blog Apartment therapy.

Tuesday, August 11, 2015

O post do regresso

Recomeçar custa sempre tanto, especialmente quando se vem de um lugar tão bom, com tanto amor e carinho, com tanta calma e tanto sol.
Este ano as férias souberam a pouco. Não consegui desligar completamente, os nervos não acalmaram como deviam, dormi pouco, pensei muito, e precisava de mais, muito mais. No entanto, ao mesmo tempo que ainda sinto que não repus completamente as energias no que toca à "vida real", no que implicam os meus projectos e ideias pessoais, estou com vontade de os atacar a todos.  

E creio que pela primeira vez em muito tempo começo a ver claramente as coisas.
Finalmente aceitei que tudo estagnou. Quando releio posts de há dois anos e olho para o blog agora, vejo o quanto é que o deixei desamparado, o quanto tudo ficou em stand-by, o quanto me andei a iludir de que conseguiria concretizar os meus planos, mesmo sem alimentar as ideias e partir para a acção. Era só mais um mês, era só terminar aquele projecto, só deixar que passasse aquela fase, e quando olho com atenção, passaram dois anos e as minhas ideias e vontades e projectos pessoais morreram na praia.
Perdi a orientação. E com ela foi-se a minha energia.

(imagem daqui)
 
Não que me arrependa de me ter concentrado mais no meu trabalho, gosto do que faço, trouxe-me imensas coisas boas e muitas lições preciosas, mas preciso de continuar dedicada aos meus projectos e às minhas ideias e sinto que falhei nesse meu propósito. E agora estou sinceramente desgastada de tanto tempo passado na vida real e preciso de recuperar aquela vida paralela que me alimentava os sonhos e a imaginação.  Eu não sou uma rapariga que vive apenas do mundo real.

Por isso agora fiz o compromisso comigo mesma que está na altura de mudar. Se ficar parada não vai acontecer nada. Vai devagarinho, porque recomeçar parece-me mais difícil do que começar algo do zero. É como olhar para os destroços em redor e não saber bem por onde começar. Tenho de me lembrar de como planear os meus passos, de criar tarefas e cumprir aqueles pequenos objectivos que são deliciosos de conquistar.

Primeiro passo: arrumar o escritório de uma vez por todas. É muito giro poder trazer os cadernos para o sofá e desenhar de vez em quando, mas para fazer tarefas "à séria" preciso de um espaço organizado nesse sentido. Tenho papéis espalhados por todo o lado,a secretária serve de poiso para mil coisas, há muita coisa para deitar fora, muita tralha por arrumar, ilustrações por emoldurar e ideias para encher aquele espaço de inspiração e boas energias. E vou documentar o processo todo por aqui que é para ter a certeza de que o compromisso é sério.

Portanto antes que a semana acabe quero ter já o meu (vergonhoso) post do "antes"...

 (imagem encontrada aqui)

Monday, August 10, 2015

A sonhar com as próximas...









Férias no Algarve podem ser do mais básico que existe, mas tinha tantas saudades destes programinhas, ir à praia, fazer o jantar, passear-me pelos vilarejos, beber café e medronho e aproveitar o ambiente veraneante tão tradicional, tão familiar. Não descansei tudo o que queria e devia, mas trouxe comigo memórias maravilhosas e dias de tanto calor e preguiça, muitas páginas percorridas em livros, muito amor e carinho, muita reflexão e regresso aos lugares da minha infância. Tive mesmo a sensação que me encontrei algures nestes dias e em breve falarei melhor sobre isso. 
Hoje recomeçou o rodopio da rotina, e ainda me sinto a aterrar. Ficam as fotos para relembrar estes dias de paz.

Saturday, August 1, 2015

Cabeça no ar

Perdoem-me a ausência, mas estou de férias e tive os últimos dias de trabalho mais arrasadores de sempre. Não queria largar este cantinho ao abandono, especialmente agora que faz 4 anos mas tento que as minhas férias sejam o mais offline possível. Regresso muito brevemente. Obrigada por estarem aí! Até ao meu regresso!