Tuesday, April 2, 2013

E hoje apeteceu-me falar.

Há uns tempos recebi um comentário no meu já extinto (e privado) blog anterior a este, a pedir para voltar a escrever por lá. Fiquei tocada, e bem gostava de o fazer, mas devo explicar porque não vai acontecer, não agora. Eu deixei o anterior blog não porque não gostasse dele, na verdade adorava-o e dizia muito sobre mim, tinha um registo mais pessoal que este, tinha piadas ácidas e muitas queixas da minha vidinha (e eu como boa portuguesa gosto de me queixar), mas também tive alguns desgostos provocados pela sua mera existência, e tive que o tornar privado. Para começar, se há coisa que eu não gosto é de blogs privados, muito menos se for o meu. Não tenho nada contra, até tenho uma boa amiga que tem um blog privado, mas a verdade é que me esqueço de o ler com mais frequência, os readers desta vida já tomaram conta da rotina e os blogs privados nunca são actualizados. Mas pronto, são pormenores.
E a verdade é que desde que me tenho dedicado mais aprofundadamente ao box que me sinto mais positiva. O box surgiu como forma de me motivar, é menos pessoal, tem menos queixinhas e a verdade é que eu própria estou diferente, sinto-me mais focada e mais equilibrada. Claro que não foi o blog que operou essas mudanças em mim, e eu continuo a mesma refilona de sempre, apenas ando a tentar arranjar outro foco. E o box também se está a ajustar a esta minha descoberta de mim mesma.
Se continuo descontente com o meu emprego? Mais que nunca. Se estou disposta a continuar aqui para poder viajar e cumprir outros pequenos sonhos? Sim, pelo menos por enquanto. Se estou de braços cruzados? Não.  Mas ainda não tenho uma alternativa para me pagar as contas, não tenho outro remédio senão mexer-me, e sei que estou muito bem, porque pelo menos tenho emprego, tenho poupanças, e acima de tudo, tenho sonhos que quero concretizar. E ando a perder o medo de dar os próximos passos. Para isso também serve o coaching. E quero mais que nunca encontrar-me novamente. Sei que algures na ânsia de orientar a minha vida que perdi alguns pedaços de mim, e agora sinto na pele o desejo de me rever.
É curioso que quando somos adolescentes sabemos tão bem quem somos, e depois vamo-nos perdendo, desgastando com a rotina, forçando a aceitar o que aparece porque queremos o nosso lugar na sociedade, queremos sentir-nos parte, queremos evoluir na vida, e damos por nós a esquecer aquilo que verdadeiramente gostávamos, aquilo que queríamos mesmo fazer. Eu senti-me perdida durante vários anos, pensei que o meu caminho era mais simples que isto, mas não foi, e aos poucos ando a acordar para a vida, para aquilo que percebi que não quero abdicar, as minhas crenças, a minha criatividade, a minha força de vontade, os meus sonhos. E quando confessei à minha coach que sentia que isto me estava a acontecer tão tarde na vida e que gostaria de ter começado mais cedo ela disse-me "aconteceu na altura certa". E quero pensar que sim, que é a altura certa, que as coisas fazem-se. Penso também no exemplo de Saramago, que também dizia que na sua vida tudo aconteceu tarde, mas que vida!
E aos poucos aqui vou desbravando o meu caminho, ainda com uma rotina que me desgasta e me cansa, mas onde eu procuro uma centelha de ânimo que me faça sentir mais feliz a cada dia, dar um beijinho ao meu namorado antes de sair de casa, um serão no sofá, fazer um desenho que me apetece mesmo, telefonar ao meu pai e à minha irmã, ver o walking dead, comer um bocadinho de chocolate Kinder que sobrou de um ovo da Páscoa - sim, ofereci-me um desses - , escrever neste blog, perder-me em livros que adoro, cozinhar...
Quero ser esta pessoa mais positiva, quero lutar por algo que quero, quero que este blog seja o testemunho de que vou conseguir dar a volta à minha vida.
E por isso o meu registo é mais discreto, menos negativista. E anda a fazer-me bem expressar-me assim.
Por isso vou continuar por aqui, ainda a descobrir a minha voz, ainda a descobrir-me, e esperemos, a descobrir talentos que me revelem novas paragens que nunca pensei encontrar na vida. Tenho de me dar esta hipótese e espero que me acompanhem neste caminho imperfeito e desconhecido. Obrigada por lerem até ao fim.

13 comments:

Vera said...

De vez em quando eu espreito o blogue antigo para ver se há novidades mas... um blogue só faz sentido manter enquanto nos fizer bem, se não faz... stop na coisa. :) A Box é claramente mais positiva, mais bonita e se éo que faz sentido agora, força nisso! Nós estámos por cá. :)

Analog Girl said...

De vez em quando tenho imensa vontade de lá voltar, confesso. Por isso é que nunca o apaguei ou fechei logo.
Mas por agora gosto deste espaço, estou a torná-lo mais meu, e ajuda-me de facto a manter a cabeça mais ligeira. Sinto-me confortável neste registo e pelo menos por agora não tenciono voltar lá. Depois quem sabe... ainda lá volto a escrever...

Carla said...

Pronto, está bem... eu venho cá :) E da minha parte, espero um dia encontrar essa centelha de que falas para também eu andar mais animada.

Beijinhos

Cate said...

we're all here. :)

Analog Girl said...

Carla, isto não significa que este também não se possa transformar aos poucos num registo mais pessoal com o tempo. Mas se estiveres muito desanimada manda-me um mail e descarregamos as nossas mágoas! :)

Cate, I know my love!*

MFFAA said...

Concordo plenamente, este é um registo um pouco diferente mas muito mais positivo e "para cima".
Sei que a vida nos vai moldando.. mas é assim, NESTE registo, que me recordo de ti*
Aqui ou "lá" só espero que não pares!
É sempre bom "ler-te"***

Analog Girl said...

Obrigada minha querida Mary! :)
Também é assim que eu me lembro de mim, não sei o que me azedou aqui pelo meio... :P
Obrigada!
Beijinho grande*

dropsofmagic said...

Independentemente dos motivos que levaram à mudança, eu cá digo com toda a sinceridade que prefiro a Box. E se te sentes realizada com a sua existência, então dupla razão para cá ficares. O outro blog cheira a passado. Este és tu e agora, não faz sentido voltar atrás ;)

Lazy Cat said...

De nada.

É muito agradável vir aqui e encontrar toda esta positividade. É inspirador. =)

anita said...

Pois é, as coisas acontecem sempre na altura que têm que acontecer, e tarde só seria depois de morrer, por isso, ainda vais mais do que a tempo! E as fases de confusão e de nos sentirmos perdidas são super normais, acho que certezas absolutas nunca teremos, pelo que a vida será mesmo esse processo de nos descobrirmos e a luta diária para nunca nos resignarmos! Força nisso e nessa positividade! :)

***

Analog Girl said...

Obrigada pelos vossos comentários meninas, sinto-me motivada a seguir em frente e fazer mais e melhor! :)

Nikki said...

Li até ao fim e gostei. Gosto mais desta Analog menos cabisbaixa e mais activa.

E este blogue não deixa de ser um espaço teu, com o teu cunho e assinatura em casa artigo que escreves. Curiosamente parece que revelas mais de ti assim do que no outro. Pelo menos é o que eu acho.

Assinado:
A boa amiga do blogue privado. ;)

Analog Girl said...

Nikki, a sério?
Às tantas é capaz, ainda não tinha pensado muito sobre isso... :)
Obrigada pelo teu comentário. Eu também estou a gostar desta viagem mais positiva na minha vida.