Tuesday, June 30, 2015

A great weekend and something about the comfort zone

Antes de mais peço desculpa pelo atraso deste post, era suposto ter sido publicado ontem mas confesso que me deu uma preguiça gigante e uma moleza pouco usual em mim (normalmente passo o dia com sono e à noite estou acordada como uma coruja) e acabou por ficar tudo pela intenção.

O fim-de-semana passado foi daqueles que tenho de falar, porque não quero esquecer. Coube tanta coisa em apenas dois dias e aprendi tanto, que pareceu quase que tive uma semana preenchida.

Tudo começou com uma sexta feira agitada em que só cheguei a casa às 9h da noite, tinha ido até Lisboa, fui às compras ao supermercado e ainda passei pela loja dos bolos no Alegro antes de ir para casa. O motivo? Fazer um bolo para a festa de anos do filho de uma colega.

É engraçado que sempre adorei fazer bolos e doces e sempre me safei bem, mas perante a responsabilidade de fazer um bolo para uma festa a sério  (tendo em conta que no outro dia consegui fazer uma tarte de limão merengada intragável), tive muito receio que não saísse bem. Fiz o bolo calmamente na sexta, decorei-o com jogadores de futebol no sábado de manhã, entreguei-o à minha amiga e fui fotografar um pequeno evento de trabalho. Passei o sábado todo em ânsias de saber como teria corrido.

Acho curioso como uma coisa tão simples e pequena me tenha causado esta ansiedade. Mas percebo o porquê, afinal a minha colega pagou-me pelo bolo. A responsabilidade era maior e era algo completamente novo. Se fiz bolos antes? Sim, vários. Se alguma vez fui paga por isso? Não. E será que me atrevo? Bem, atrevi-me.

Resolvi aceitar o desafio, ser paga por algo que sei não ser uma especialidade. Criar relva falsa (coco e corante) e colocar jogadores de futebol em campo.

Sair da zona de conforto.  E pôr um valor no que faço e saber que no fundo sou uma pelintra que não se orienta minimamente com isto.

No final, estava bom, fez sucesso e tanto crianças como pais gostaram. E eu fiquei nas nuvens. Consegui superar-me, fazer algo diferente, traduzi-lo em dinheiro e no final não desapontei ninguém. E não me senti tão pelintra também.



Ainda sobre zona de conforto... Fui fotografar duas senhoras a fazer um makeover. Ambas estavam desconfortáveis com o corpo, com a mudança de look e acima de tudo, com as fotografias. Não sou uma fotógrafa experiente, tenho algumas bases da época da faculdade e faço-o por gosto e curiosidade. Prefiro fotografar objectos do que pessoas, porque eu própria não tenho muito jeito com as pessoas, e também não gosto de ser fotografada.
Então a atrapalhação delas também me atrapalhava a mim. No entanto, ao longo da experiência, elas foram fortalecendo a curiosidade, e a mulher que eu fotografei no início acabava por não ser a mesma que fotografei no fim, com maquilhagem, cabelo arranjado, e roupas mais elaboradas. Foi um prazer imenso.

Não só vi em poucas horas o que uma simples transformação externa pode fazer pela auto-estima de alguém (elas podiam estar produzidas por fora, mas garanto-vos que o brilho vinha de dentro), como eu própria me deixei levar e influenciar e a experiência também se tornou diferente e reveladora para mim.
E há muito que se podia dizer sobre este assunto, mas ficará para outro post.

Portanto conseguem perceber as lições fantásticas que aprendi em tão pouco tempo. O resto do fim-de-semana foi passado na praia, na minha varanda a beber mojitos e a relaxar, com as pessoas que amo e sempre de coração cheio. Hoje estou a ter um dia tramado, mas quando me lembro das coisas que aprendi e que tenho o privilégio de testemunhar, sei que vale tudo a pena.

Boa terça-feira pessoal. Deixo-vos fotos do bolo, agora que sei que estava bom ainda me apetece mais prová-lo. Ficam para a posteridade.

2 comments:

Lazy Cat said...

Esse chocolate a escorrer pelo bolo abaixo... AI MEU DEUS. Ainda ontem estava com uns desejos de chocolae, que nem te conto! Hoje já passou um bocado, mas agora está a voltar (porque será?!) lol

Foi um fim de semana em cheio! =)

Alva said...

Não o posso provar, mas as fotografias são tentadoras.
Um bolo para criança que realmente dá vontade de comer, até a relva hehe!!

Percebo tão bem a sensação de desconforto de ser paga por fazer algo que não é a minha especialidade (e mesmo nessa sou péssima a cobrar-me)...mas quando corre bem assim, tudo sabe bem :)