Friday, May 8, 2015

Espreitar um guarda-roupa com 50 anos

Dizem que é uma característica intrínseca do signo Caranguejo, uma paixão pela História. Eu nunca fui uma brilhante aluna em História, mas sempre adorei percorrer castelos, igrejas, espaços mais antigos que o tempo e imaginar como seria a vida nos tempos em que foram erigidos. Mas mais do que a História Universal e Antiga (que adoro), ainda fico mais interessada naquela pequena História, aquela que faz parte da minha vida, ou da minha família. Toca-me mais olhar para um espelho onde sei que a minha bisavó se penteou do que entrar numa igreja medieval. Ou ver fotografias antigas de pessoas que nem conheço do que ver quadros de fidalgos. Adoro saber mais das vidas dos meus antepassados, daqueles que nunca vi e daqueles que conheço. Todos os dias pouso as chaves na máquina da costura que foi da minha bisa e penso no que já terá aquele objecto tão simples testemunhado.

Por isso não é de estranhar que quando vi esta notícia e vi as fotografias uma parte de mim se tenha comovido profundamente. 




(fotos de Ishiuchi Miyako)

Adoro a Frida Kahlo, o seu estilo, o seu percurso, a sua genialidade que a tantos níveis ajudaram a moldar muitas gerações de mulheres. Gosto de olhar para a mulher, que usou a artista para comunicar a sua dor ao mundo. E ao ver os seus maravilhosos vestidos e objectos que fazem parte da vida de qualquer mulher (frascos de verniz!), utilizados, desgastados pelo tempo, fechados durante anos até poderem ser vistos por nós.
A última vez que foram usados, foi ela quem os usou, a última vez que tinham visto a luz do dia, foi quando ela abria a porta do seu roupeiro. Os nossos objectos contam aquela história que ninguém conhece, e parece que morrem connosco, quando vamos. A roupa parece estranhamente vazia e oca sem ela. Mas ela está em tudo o que vemos.
E não consigo ficar indiferente a este testemunho vivo de História, com H grande, porque para mim, cada vida, cada pedaço de cada pessoa tem sempre um mundo de histórias, que se contam, que ficam perdidas no tempo. E aqui resgatamos um pouco desse tempo perdido. É maravilhoso.

Bom fim-de-semana de calor pessoal.

5 comments:

Cate said...

Também tinha visto, é tão giro. :)

Marta Chan said...

Reconheco que gosto imenso de tudo o que seja antigo e que muitas vezes contenho me para nao comprar aquele servico de cha retro que encontrei numa feira de antiguidades. Sou fascinada pelo design e as cores do passado, a qualidade incrivel e atencao nos detalhes. Hoje em dia parece que a maioria das lojas so vendem produtos feitos em massa, sem identidade.

Tambem adoro a Frida, uma mulher com garra que me inspira. E sim, o guarda roupa dela era qualquer coisa de fantastico.

Www.shantifreebird.com

Catarina H. said...

Não sou Caranguejo mas entendo essa tua característica, o interesse pela História das pessoas. Também me perco com esses pormenores.
Ainda não tinha visto a notícia, mas fiquei fascinada...
É o REAL testemunho da História.
Beijinhos e boa semana!

Marta Moura said...

Era uma mulher maravilhosa!

Inês Silva said...

tenho um carinho especial por peças de história assim. Percebo bem o que dizes quando escreves que te relacionas mais com um espelho da tua bisavó do que com uma catedral, porque afinal, são essas as coisas mais pequenas que nos aproximam mais uns dos outros e tornam a História mais real :) estas peças da Frida, opá, amor nisto tudo, torna-a tão mais real, não sei!