Friday, April 10, 2015

Disney, a espalhar magia desde 1937*

Digam o que disserem, quando a Disney nos traz mais um conto de fadas, é um acontecimento. E mesmo que seja quase um déja-vu, mesmo que a fórmula esteja velha e desgastada, há algo que a Disney consegue, aquela magia tão própria, aquele encanto inexplicável, que transborda para fora do ecrã e nos toca sempre.
Ontem fui ao cinema ver a Cinderella, com um entusiasmo que não tinha há vários anos, ao entrar na sala escura, com a perspectiva de uma noite animada com a minha irmã. E não defraudou expectativas (sejamos realistas, é um conto de fadas contado à moda da Disney, há limites para o que se pode esperar deste filme), adorámos, passámos um bom momento as duas e foi quase um regresso à infância.
Não há dúvida que estes tipos sabem como contar uma história, dar-lhe um toque diferente e ainda assim manter o encanto inicial.

 (imagem IMDB)

Agrada-me também toda esta nova dinâmica que os príncipes e princesas começam a ter nestes filmes, mais independentes, e com vontade própria, em vez de serem figuras ali sem objectivos (no filme animado o príncipe parecia uma versão sem graça do Ken e mal diz duas frases, aqui já temos o Rob Stark com a sua excelente voz e belos olhos azuis).
No fim de contas, foi uma noite animada e ligeira, com sabor a infância e a momentos felizes e ingénuos. Recomendo a quem gosta do género, mas não pense que isto é uma adaptação alternativa da coisa. É fofinho e bonitinho. E às vezes só precisamos disso mesmo.

O melhor: Aquele vestido azul, a deslizar pelo salão de baile, mesmo à princesa. Aliás, o guarda roupa estava todo ele fabuloso. E a Cate Blanchet como madrasta. Irrepreensível.
 
(imagem IMDB)

O pior: uma evidente tensão sexual entre o príncipe e a Cinderella que acaba num beijinho sem piada nenhuma (fez-me lembrar o casamento real por acaso). Ou como a minha irmã disse "A rapariga passa metade do filme a suspirar e nem temos um bocadinho de língua?"

E é isto.
Um fim-de-semana mágico para todos!

* Só para referência, é o ano em que saíu o "Branca de Neve e os sete anões", a companhia existia há mais tempo, mas para mim a magia começou aqui.

3 comments:

Merenwen said...

Eu quero ver este filme, mas confesso que estou á espera que saia nos torrents porque nao encontro ninguém que queira vir ao cinema comigo!! Há pessoas que nao sabem apreciar um bom conto de fadas! ;)

Catarina Sousa said...

Sinceramente, a história da Cinderella sempre foi a que mais me passou ao lado. Mas sou capaz de alugar o filme no videoclube da NOS. :) Adorei, por exemplo, o Maleficient e anseio pelo dia em que façam uma adaptação do Hércules da Disney em filme com actores reais! :D

www.joanofjuly.com

Analog Girl said...

Merenwen, se aqui estivesses tinhas-me sempre para te acompanhar nestes programas fofinhos. Mas depois saca, aposto que vais gostar! :)

Catarina, a Cinderella também nunca foi das minhas preferidas, mas aquela coisa de ver a magia do desenho animado replicado num filme com pessoas de carne e osso dá-me um gozo enorme. O Hércules pode bem vir a ser real um dia, pelo que sei já andam a decorrer filmagens para A Bela e o Monstro (com a Emma Watson! Já estou em pulgas) e também está a avançar a produção do Mulan. Portanto, fingers crossed! :)