Monday, March 30, 2015

10 anos de blogs (ou quase)

Este ano fará 10 anos que escrevo em blogs. Este é o meu terceiro. Lembro-me muito bem da sensação de escrever o meu primeiro post e de quando cliquei em "publish" , pensei "agora está lá fora" e a sensação de euforia que durou vários dias. O blog inicialmente era sobre nada e sobre tudo, como tantos outros. Comentava coisas do dia-a-dia, publicava imagens que achava piada, aprofundava pontos de vista sobre algumas situações mais sérias, ou dissertava acerca de filmes e livros. Ainda demorou algum tempo a ter visitas regulares, inicialmente eram apenas os amigos, depois lá ia descobrindo amigos dos amigos, íamos visitando os blogs uns dos outros num espírito de partilha comunitária descontraída e alegre, e começámos a conhecer e comentar em blog de perfeitos desconhecidos. Há dez anos atrás os comentadores anónimos e cheios de fel eram coisa quase inexistente, os layouts dos blogs eram sofríveis e limitados, mas no geral respirava-se uma atmosfera de partilha muito boa. 
Foi através dos blogs que conheci gente fantástica e a quem posso chamar amigos nos dias que correm. Lembro-me de viver do meu lado da rede o choque da morte de uma pessoa que visitava diariamente no espaço virtual, isto antes de existirem blogs onde pessoas falavam abertamente sobre doenças mortais e infelizmente já vivemos suficientes perdas para isto se ter tornado algo quase "normal". 

Na altura éramos bloggers apenas porque escrevíamos um blog. Nos dias que correm, blogger já é uma profissão, uma actividade, com cabeça tronco e membros. Um blog pode ser um negócio. Antes eu escrevia sem pressas e sem pensar para onde ia, hoje em dia os blogs têm objectivos por trás. Não me interpretem mal, acho lindamente que isto assim seja, adoro o quanto tenho aprendido graças a esta "especialização" a que fui assistindo e posso dizer que os blogs têm trazido muito mais alegrias que tristezas à minha vida (se é que alguma vez trouxe alguma), mas por vezes a minha personalidade saudosista tem saudades da forma como as coisas eram feitas, sem uma agenda, sem posts planeados, sem verificar os contadores e google analytics, sem ter uma pontinha de esperança que alguém veja um potencial enorme no blog e ajude a levar esta paixão da escrita e da partilha a outro nível. 

Isto porque penso onde quero chegar com o meu blog. Sim, estou a passar por uma crise existencialista bloguística (quem nunca viveu uma que atire a primeira pedra), talvez pelo peso de quase uma década a escrever na realidade virtual e sem saber muito bem onde quero chegar. 

A verdade é que há quase 4 anos abri este blog com uma intenção (era apenas e somente para divulgar trabalho criativo, uma vez que antes mantinha outro blog pessoal em simultâneo) e ele transformou-se em algo completamente diferente. Como toda a blogosfera, na verdade. E eu gosto desta evolução, mas gostava de perceber melhor para onde vou e como vou. Vejo pessoas a abrir blogs nos dias que correm e terem à partida preocupações com as redes sociais, com readers, com tanta coisa, que quando olho para trás e lembro-me que a nossa única dificuldade era dar um nome ao blog e qual a foto que associar ao avatar... vejo uma diferença abismal.

Se queria fazer deste blog um negócio? Ná, nem por isso, mas gostava é claro que se tornasse um bom meio de divulgar o meu trabalho criativo (quando o faço), sem perder um pouco do toque pessoal que sempre tive nos meus blogs. Se gostava de ter mais visitas e ser mais "conhecida"? Bem, talvez. É claro que vejo as estatísticas e gosto de ver os números a subir, mas não é um objectivo primordial. 

Então qual o caminho a partir daqui? Não sei bem, o que vejo é que mesmo depois de tanta conversa, o principal mantém-se. Eu quero escrever, falar um pouco de tudo e um pouco de nada, quero que este seja um espaço de energia positiva e partilha constantes. E acho que até o estou a conseguir. Espero. Ainda assim faz-me sentido esta coisa de ter um planeamento, de produzir conteúdos mais interessantes, de aprofundar aprendizagens e ir mais longe. Conseguirá o improviso conjugar-se com um planeamento e estrutura? Não faço a mais pálida ideia, vou deixar que as coisas se desenrolem o mais organicamente possível. Afinal, está-se tão bem por aqui. :)

E aí desse lado, andam a lutar pelo reconhecimento do vosso blog? Querem dinheiro e fama? Ou gostam apenas de ter um sítio onde se sentam confortavelmente e gozam de uma chávena de chá virtual na melhor companhia? E já agora, se quiserem partilhar se quando aqui vêm sentem vontade de tirar as pantufas, comuniquem (e se não gostam, comentem também, eu sobrevivo...acho). 

7 comments:

ana said...

Também ando por aqui há muito tempo (desde 2003) e este já é o meu terceiro blogue.
Já fui muito conhecida e exatamente por isso acabei por criar outro blog. Porque isso de ser conhecido faz-me confusão.
Agora estou aqui, com dois seguidores mas escrevo o que me apetece. Quem quiser tirar ilações que tire, quem quiser comentar que comente. Agora já não me sinto presa e há lá melhor coisa que a liberdade?

Um beijinho
(gosto muito do que escreves e de todo o teu trabalho)

Anita A said...

Ui... estou em profunda crise bloguística. O ano passado queixava-me que andava a ler pouco (livros), mas ultimamente consegui dar a volta a isso. Mas por outro lado, fez-me ter muito menos interesse em blogs, seja lê -los ou escrever no meu... Espero que passe, porque ainda tão recentemente dava-me tanto gozo..

alva quase transparente said...

Oh crises bloguisticas como as conheço...ora abandono, ora tenho vontade de voltar mas falta o tempo para pensar e decidir por onde ir.

Gosto muito de cá vir e das tuas partilhas.

Parabéns pelos 10 anos

Lazy Cat said...

Tenho dias em que penso apagar o meu blog. Ou pelo menos o conteúdo. Há muito que não tinho tido interesse/necessidade de lá escrever, e agora com o Tumblr vejo a partilha de outra forma (se calhar um pouco mais impessoal, embora também haja espaço para o pessoal).

Não sei porque me desencantei com o formato. Se calhar foi por deixar de ver relevância no que tinha para dizer. Ou simplesmente deixou de fazer sentido para mim partilhar as coisas desta forma.

Os únicos blogs que ainda visito regularmente são o teu e o da Alisa Burke.
E posso não comentar, mas leio-te sempre, e fico sempre contente quando vejo um post novo =)

10 anos é muito tempo, pá! Mas vendo bem, também devo ter começado (muito timidamente por outros lados) há cerca de 10 anos!

Guilhim said...

Antes de mais, parabéns pelos quase 10 anos! É obra!! Não conheci os outros, mas gosto muito e aprendo muito com o Analog's box.

Quanto a crises... acho que estou a passar por uma agora... não tanto de apagar o meu ou de pensar no caminho a seguir (se bem que nesta altura também o faço) mas antes de apagar o meu feedly e começar de novo a lista de blogs que sigo... é que ultimamente já nem ao trabalho de ver as imagens (já nem digo ler) me dou... As coisas mudaram... o trocal e pagar likes, seguidores e views a todo o custo (fiquei a saber que há grupos de trocas de likes e comments!!!!) faz-me muita confusão... Mas é como tudo: o tempo encarrega-se de levar o que não interessa!

Analog Girl said...

Meninas, muito obrigada pelos vossos comentários. Gosto tanto que este espaço sirva de partilha e de aprendizagem. Aprendi agora mesmo essa coisa dos comentários e likes desconhecia completamente, como é possível?

Espero manter-me sempre em contacto com todas e continuarmos a partilhar ideias e tudo tudo por essa blogosfera fora (e não só!)

Beijinhos e obrigada!***

ballon blanc said...

Whew, tenho tanto catch-up para fazer! Pelos States andei completamente sem tempo e agora por cá, já não me posso queixar :P Tenho que atualizar as minhas leituras blogueiras.
Parabéns pelos 10 anos! Acho que ando por cá à volta desse mesmo tempo também, mas tinha um outro blogue antes deste. Abri os dois quase ao mesmo tempo e como o meu interesse foi sempre mais fotografia, fechei o outro.
Tenho um blogue para terapia. Nunca pensei em fazer dele um negócio e o que gosto é mesmo de partilhar e aprender. E claro que adoro vir aqui ao teu e ler o que te vai na alma!
Um até já e beijinhos**