Wednesday, June 18, 2014

True Detective

Nestes tempos em que andei desligada, mergulhei em algumas séries de tv, o tempo livre que eu conseguia dedicar ao Pedro e a nós, era estarmos juntos no sofá, enrolados em mantas e a vê-las, uma atrás da outra, sempre que era possível e quando eu não tinha de estar com os olhos enfiados num ecrã de computador. E algures pelo meio viciámo-nos nesta, que nos prendeu desde o início. Se o Matthew McConaughey já nos tinha surpreendido com a sua excelente interpretação no Dallas Buyers Club, esta série demonstrou que consegue ser de facto um brilhante actor, sem falar na clara química com o Woody Harrelson, que torna tudo mais credível e intenso. 

Recomendo vivamente a quem está curioso que a veja, acompanhamos em três diferentes fases, a investigação de dois detectives a um violento e algo peculiar assassino em série, passada em cenários de degradação humana e fanatismo religioso. E é incrível como uma temática tão explorada possa trazer algo de tão novo e refrescante como esta série trouxe. A mística das seitas, a violência dos crimes, a aparente calma que veste as personagens e os cenários está simplesmente fantástica. 

E depois há isto. Provavelmente o melhor genérico de abertura que vi numa série, carregadinho de bom gosto, de imagens límpidas e enigmáticas, que ficará certamente em primeiro lugar no meu top de preferências (havemos de voltar a este assunto um dia destes). Irrepreensível.






















Não é qualquer coisa de brutal? Espreitem o original aqui.

8 comments:

Karina sem acento said...

Já vi 2 ou 3 episódios desta série e gostei bastante. Ainda não vi mais porque quero ver se arranjo tempo para ver tudo mais ou menos de seguida. E sim, o genérico é qualquer coisa por demais!

Analog Girl said...

E acredita Karina, merece a pena cada minuto a ver esta série. Está fantástica. Vais gostar de certeza! :)

(e este genérico, está tão bom!)

art.soul said...

Estive a ver o genérico, é bem bonito.

Como sabes, terminei de ver o BB... pela segunda vez e descobri detalhes fantásticos (está mesmo muito bem escrita), foi uma boa opção (até pk ver com o maridão é outra coisa)

Agora vou voltar aos novos do Mad Men (que tb adoro e onde fiquei pela 4ª temporada. no próximo ano estreia a final season) e o meu brother vai-me emprestar o Game of Thrones...

Quem sabe um dia veja esta... confesso uma coisa, não sou fã do Matthew McConaughey MAS tenho open mind suficiente para que ele me faça mudar de ideias ;)

beijoca

Analog Girl said...

Art, ainda hei-de fazer essa proeza de rever o BB! Vai merecer a pena de certeza! :)
Mad men nunca vi com muita pena minha, mas um dia hei-de começar a saga e acho que vou adorar também.
Game of Thrones dispensa apresentações, é brutalíssimo. Mas como já li os livros confesso que não há grande novidade e a última temporada não está espetacular...

Esta... também nunca fui fã do Matthew, mas garanto-te que ele faz MEGA PAPEL! Mas não é a única coisa boa, a série é densa e o argumento muito bom, merece a pena.

**

Lazy Cat said...

Esse genérico dá ares de True Blood, embora seja mais limpinho. Deve ser por causa do tipo de música e das ocasionais imagens de fanatismos religiosos (e afins).

É bonito, mas não é nada de surpreendente, pelo menos tendo em conta aquilo a que a HBO já nos habituou.

De qualquer das formas, parece ser interessante, sou capaz de lhe dar uma olhadela um dia destes!

ballon blanc said...

brutal mesmo!

Analog Girl said...

Lazy, concordo, também me faz lembrar o de True Blood na temática. Talvez não seja particularmente surpreendente ou novo nesse sentido mas visualmente é arrebatador... E és capaz de gostar da série, dá uma espreitadela!

Ballon Blanc, mesmo!! :)

triss said...

Também ando a ver:-) O genérico é fantástico!