Wednesday, February 13, 2013

Sneak Peak: my vintage home

Não sei se já tinha dito antes, mas adoro objectos antigos, com história. O tão badalado vintage. Ando há que tempos para me dedicar seriamente e ir a uma feira de antiguidades com dinheiro para gastar, porque realmente adoro objectos antigos e imaginar por onde passaram, quantas mãos os seguraram, quantos anos a mais que eu têm e quanto mais irão durar. E o que posso fazer para os acomodar em casa. A minha vontade de comprar molduras antigas e pintá-las anda a passear-se pela minha cabeça há meses.
E tenho uma sorte danada em ter as velharias que ninguém da família quer. Ou que aceitem que eu fique com elas porque sou uma perdida pela história dos objectos e gosto deles, mesmo partidos, com a madeira lascada, com pintura desbotada pelo uso e quero mesmo que fiquem em destaque cá por casa. Tenho sorte de ter um companheiro que gosta do mesmo que eu, e cá nos vamos servindo do espólio familiar e vamos compondo a casa com cada vez mais pormenores vintage, que nos deliciam todos os dias.
A luz do final de dia estava irresistível, não consegui evitar tirar fotos dos meus objectos mais preciosos com esta tonalidade amarela que lhes dá uma vida tão própria.


(As nossas máquinas fotográficas. A da direita pertenceu ao meu avô - e tenho fotos minhas tiradas com esta máquina - e a da esquerda comprámos na feira do Príncipe Real. Este recanto ainda terá um print grátis que encontrei nessa net fora mas que ainda não foi impresso para ser exposto)


(A menina dos meus olhos com quase 100 anos, a máquina singer que foi da minha bisa e que muita costura para a minha mãe e os meus tios por lá passou. A agulha que ainda lá está provavelmente ainda foi usada por ela, já me aconselharam a retirar para ser mais seguro, mas como posso fazê-lo? Adoro os mecanismos velhos e enferrujados pelo uso)


(A aparelhagem de fita de um primo que acho que nunca conheci. Toda a minha vida me lembro de a ver em casa dos meus avós sem saber do que se tratava, até muito recentemente quando a minha avó decidiu despachá-la para nós, visto que o P. adora música e este tipo de material. Ainda temos de ir buscar bobines que ainda trabalham, e experimentar ligá-la e ouvi-la. Vai ser um estrondo.)

(A menina dos olhos do P., a clássica Stratocaster que esta semana foi morar connosco por um preço muito acessível. Soubesse eu tocar alguma coisa e também me agarraria a ela, mas gosto de a ver, simplesmente, apreciar o toque da madeira e a evolução do meu rapaz nos dotes musicais.)

Também tenho uma caixinha de costura que foi da minha mãe em miúda, onde estão os botões que colecciono. Ainda vou pedir mais alguns à minha avó. Adoro botões e ainda hei-de arranjar-lhes uso brevemente. Quando voltar às lides da costura, creio. Ficarão para um próximo post.
E por aí? Também namoram os objectos antigos da casa da avó ou nem pensam nisso?

16 comments:

Rita Laranja said...

adoro as máquinas! o meu avó também têm uma, uma yashica, e adoro tirar-lhe fotografias. e a máquina de costura faz-me lembrar a minha avó! gostei muito :))

Vera said...

Adoro as máquinas. Por estes lados, há uma feira de velharias todos os "1os domingos do mês" e eu ando mortinha para ir lá perder-me (falta a parte dos € no bolso!) :) Enquanto isso fico com um leitor de Vinil que restaurei e uns livros fantásticos.

Analog Girl said...

Ihhh a Yashica! Tenho uma dos anos 70/80 que foi do meu pai, um dia tenho de lhe pôr um rolo e testá-la. Morro de saudades de fotografia analógica. :)
Máquinas fotográficas antigas são uma perdição.

Analog Girl said...

Uma pessoa perde-se. Aos bocadinhos as coisas compõem-se e podes sempre ir pondo algum de parte para estas pequenas indulgências. Adoro objectos com história, e ando a ressacar de uma boa feira de velharias (também com este frio a última coisa que apetece é ficar ao ar livre)
Por estes lados ando de olho nas feiras de Belém, que estão sempre bem recheadas. Também apanhei uma em Oeiras uma vez que me fez babar, tenho de lá voltar. :)
Como está a casinha a ficar?

Lazy Cat said...

Um dia tens de vir cá a casa. Assim só pra te perderes um bocado. Até de deixo levar qualquer coisa que gostes, e tudo. =D

Analog Girl said...

ihhhh, nem digas isso duas vezes! :)

Lazy Cat said...

anda...! ;P

Analog Girl said...

Ainda te ajudo a esvaziar a garagem... :P

Lazy Cat said...

Bem, as coisas que tenho na garagem também são capazes de te interessar, mas não por serem antigas. Só que essas não podes levar, que não são minhas. xD
Pensando bem... o teu homem não quer uma bateria, não? lol O mau pai quer vender as dele. Tem uma dos anos 70, muito gira! =P

Analog Girl said...

psiuuu! Olha que ele pode ler! Não tenho espaço em casa, ele comprou uma bateria digital e mesmo assim já tem causado stress com os vizinhos. Quando eu tiver uma mansão podemos falar novamente! :)

Quotidianos de seda said...

Acreditas que adoro beber chá em chávenas antigas, daquelas meio rachadas e assim mesmo com aspecto velhinho ?
Sou como tu. Também adoro antiguidades.
Bjocas

Analog Girl said...

Acredito plenamente! O meu único serviço de chá era de uma prima da minha avó que já morreu, e já tem chávenas rachadas e manchadas de chá que nunca mais sai. É lindo, adoro-o. Faltou aqui uma foto do serviço. Imperdoável. Bem, ficará para uma próxima.
Estou a ver que não sou a única a ter estes gostos e pequenas manias. Good to know! :)
Beijinhos

Nikki said...

Adorei as fotos. E tb eu adoro coisas antigas!

Analog Girl said...

:)

triss said...

Tenho uma igual a da segunda foto, era do meu pai:-)

Analog Girl said...

Sério? Lindo! :)