Monday, October 5, 2015

Arranjar espaço

Começa hoje a última semana no meu actual emprego. Para a semana começo o novo emprego.
E estou já na terceira semana do curso que disse que ia tirar, no início deste Verão.
Não me posso queixar de monotonia na minha vida, ultimamente parece que tudo acontece no vórtice temporal de Setembro/Outubro. 

Confesso que já pensei e repensei a minha vida acerca do curso. São só dois meses, mas as aulas são longas, até tarde e más horas, interferem brutalmente nos meus dias, e estou para ver se irão fazer estragos na rotina futura. Não estou a gostar particularmente das aulas e dos conteúdos em si, mas a minha consciência pesa-me quando penso no dinheiro que gastei e que tenho de rentabilizar, quando penso que isto pode ser uma mais-valia grande no meu percurso. E é tudo verdade, mas aquelas coisas que eu realmente quero, os workshops e cursos que quero fazer, esses ficam sempre para último. 
Os meus projectos anteriores ficaram em stand-by em prol de um trabalho onde não pude evoluir, e que apesar de gostar, quis trocar. E agora vai começar tudo outra vez. 
Às vezes pergunto-me o que realmente quero, se ainda quero experimentar ilustrar, se ainda me preocupo com projectos diferentes para a minha casa. Não posso viver uma vida sem criatividade, mas consigo ter energia sequer para me dedicar verdadeiramente às coisas?

Há dias em que é extremamente difícil fazer estes pequenos sacrifícios. Esta mudança de emprego tem sido emotiva e afecta-me mais do que eu gostaria. Mas tenho de acreditar que as coisas estão a mudar porque me vão fazer bem, e que há coisas que, mesmo que não goste particularmente (o curso), também não vão durar para sempre. 

E ontem, coisas aconteceram. Ontem levantei-me do sofá e arrumei parte do meu roupeiro. Ontem peguei em tintas e fiz borrões no meu caderno de desenhos, que hei-de usar como fundo para experimentar outras coisas. Ontem pintei uma tela com a miúda mais gira de Lisboa e arredores, só pelo gozo de fazer porcaria. Ontem cuidei da casa. Ontem percebi que quando eu quero, eu consigo. Mesmo que sejam só pequenas coisas, pequenas experiências que enchem a minha vida de prazer. 

Até porque, ontem também consegui sentar-me no chão do meu quarto a ver a chuva a cair, a ouvi-la e a sentir o cheiro de terra molhada que se desprendia do chão (como eu disse que queria fazer aqui). E percebo que há espaço para tudo na vida, desde que o saibamos aproveitar.

5 comments:

Catarina Alves de Sousa said...

Pode ser sentimental, mas bolas que é inspirador! Tens toda a razão, há espaço para tudo na vida. :) Mas acho que só depois de resolvermos o puzzle e percebermos onde encaixam todas as partes de que os nossos dias se constroem.

Espero que o novo trabalho te traga espaço para evoluir, mas também para conseguires cuidar das tuas outras coisas.

Beijinho grande :)*

Joan of July

Ana Burmester Baptista said...

Custa, ma avi-se lá. Por vezes o pior é ver que afinal as coisas não são bem o que idealizamos, mas a vida também não é. Faz o pino e vê as coisas de outra perspectiva. Sabes o que dói? Saber que podes fazer - como acabaste por fazer - mas não te apetecer levantar o rabo da cadeira.
Vou contar-te uma coisa: passei 8 anos e meio a trabalhar numa coisa que começou por ser fantástica - se bem que nada do que eu queria - e acabou por ser o meu pior pesadelo. Encarei-o como "a passagem" para uma coisa ideal que não sei bem definir o que é se bem que tenha uma ideia (caramba! Tenho 42 anos, não era suposto isto acontecer... Ou era :D?) Há 3 meses perdi o emprego. A empresa fechou e mudou-se para Espanha. Fiquei triste? Fiquei, perdi a parte da estabilidade financeira, mas ganhei tanto! ainda ando para aqui a traçar aquilo que quero fazer, meia perdida, meia tótó por ver o mercado medíocre de emprego deste nosso país, mas sei que nada vai ser como antes! É tudo uma questão de perspectiva!
E agora, em vez de responderes a este comentário, vai lá fazer mais uns borrões no teu caderno!
Beijinhos!

Mariana Neves said...

Felizmente li isto hoje e não ontem. Porque hoje podia ter sido eu a escrevê-lo e faz mais do que sentido para mim. Quando queremos conseguimos, não é? Haja força de vontade e muitaaa força! Nós conseguimos :) Beijinhos**

Merenwen said...

E eu a achar que já tinhas comecado! Estás mesmo na recta final entao! Coragem que as despedidas e os inícios custam sempre. Quando te habituares ao ritmo vai ser mais fácil! Um beijinho!

Agridoce said...

Arranjar espaço, organizar-me, focar-me, aí estão coisas de que preciso urgentemente na minha vida!

Espero que o novo emprego esteja a correr bem e estejas mais animada :)

Enviei-te um e-mail!