Sunday, September 21, 2014


Enquanto escrevo este texto que sei que vou apagar e reescrever até me sentir confortável, continuo sem saber que título lhe vou dar. 
É sempre difícil encontrar o título certo para um texto de regresso depois de dois meses de ausência, e explicar tudo o que mudou na minha vida. E é difícil explicar a mudança de cento e oitenta graus da minha vida, porque, mesmo sendo este um blog que se quer leve e descomprometido, sabemos que a vida não é sempre assim, nem o meu objectivo é iludir-me(vos) nesse sentido. 

Nos últimos posts referi várias vezes a falta de tempo, e como o trabalho parecia ter dominado a minha vida por completo. Abracei um novo projecto, estou sem férias de verdade há quase um ano, e o desgaste e o cansaço dominaram os últimos tempos. No entanto esta não era a minha única preocupação, algo mais ocupava os meus pensamentos e cresceu exponencialmente, tornou-se demasiado evidente para ser ignorada e em Agosto, ao fim de quase 12 anos, em que crescemos e lutámos juntos, eu e o P. decidimos que teríamos de continuar a nossa vida separados. 
Não é fácil fechar um capítulo destes, e enfrentar toda a atribulação que se segue, os assuntos que ficam em suspenso, uma casa e uma vida partilhada. No entanto permanece o carinho, o respeito, e (porque não?) o amor que nos faz desejar o melhor do mundo para o outro. E isso faz toda a diferença.

Estar em paz com uma decisão tão difícil é uma conquista na minha vida, e pela primeira vez em muito tempo, estou a enfrentar o futuro sem planos definidos, sem uma linha condutora, apenas na perspectiva da aprendizagem em reencontrar-me e definir-me, ainda que demore algum tempo. 

E há sempre lições positivas e boas surpresas que me têm preenchido o coração. Sei que continuarei a ser feliz, onde quer que este novo caminho me leve. E conto que o blog continue a fazer parte da minha vida, agora mais assiduamente.


(graffitti visto algures por Sintra nos últimos dias, que achei tão forte e definidor... Ninguém pode sonhar por ninguém, nem ser feliz por ninguém. Ando a aprender a ter novos sonhos e há algo de muito bonito nisso também. A vida não correu como planeei, mas não destruiu a capacidade de sonhar e imaginar um futuro feliz para mim...)

11 comments:

Guilhim said...

Força, porque coragem, obviamente, já tens e muita!

Karma said...

O término de uma relação é sempre complicado ainda para mais quando há tanto tempo e tanto investido e partilhado. Mas quando é reciproco esse sentimento de que é necessário cada um seguir o seu caminho, estar sozinha torna-se mais saudável que acompanhada.
Muita força para estes tempos, tenho a certeza de que, mais tarde ou mais cedo, esta reviravolta na tua vida e tornará no inicio de um caminho que te vai trazer muito felicidade.
*

Ana A. said...

Eu continuo por aqui.

Marieces said...

<3

Agridoce said...

Um grande abraço e cá estarei para te ler... Beijinho

Lazy Cat said...

*abraço*

Vera said...

Que saudades tinha tuas. Espero (mesmo) que depois desta grande volta, tudo vá mudando para melhor.

Um abraço apertadinho*

Ana Burmester Baptista said...

Sabe bem "ouvir-te" apesar de saber que te doi. A coisa não é fácil porque estamos habituadinhas a sair de casa com um mapa feito a mão e a achar que vai correr tudo bem. Nada disso. O que te acoteceu no fim de Agosto também já me aconteceu e sabes que mais? Senti-me perdida durante dois dias e de repente "acordei" e tratei de tratar da vida. Sem planos. Hoje olho para trás e que bem me correu este "sem planos". Se tive sorte? Se calhar. Ms também tive juízo e passei a pensar em mim em vez de olhar primeiro para os outros. É o caraças mas é assim mesmo. Vai correr tudo melhor ainda! Não foste tu que me disseste que é tudo uma questão de espírito? Bora nessa!! E se quiseres companhia para um café, avisa. Falar com uma "parede" (ler: "Alguém que não nos conhece de lado nenhum") sabe sempre bem. Beijinhos!

Analog Girl said...

Obrigada a todas que me vieram deixar o vosso carinho e apoio. Não imaginam o que significa para mim! :)
Eu sinto-me tranquila, sei que este passo é necessário para ser mais feliz no futuro e acredito que tudo pode acontecer. E é bom sentir este desprendimento, perceber que tudo é possível.
O blog vai voltar devagarinho, mas vai voltar, os meus dedos enferrujados estão cheios de vontade de voltar a escrever, desenhar, pintar, seja o que for. A vontade de fazer as coisas vai regressando e vai-se tornando cada dia mais forte.

Não tenho palavras para vos agradecer. Obrigada por estarem por aí

(e Ana, acho que temos mesmo de tornar esse café numa realidade para breve, vou contactar-te sim! :) )
**

Merenwen said...

Um recomeco tao grande é sempre algo difícil de fazer, mas o que importa é saberes dentro de ti que estás no teu caminho, que umda mudanca tinha que ser feita e estares em paz com essa decisao. Um beijinho pra ti e um abraco de forca miuda gira!

Catarina Sousa said...

Não fazia ideia de que estavas a passar por tantas mudanças, Joana. Espero que tudo mude para melhor, mesmo que custe muito.
Estou ansiosa por ter mais coisas para ver e ler por aqui e adorava ver mais ilustrações tuas.

Tal como tantas outras pessoas que vieram aqui deixar o seu carinho e apoio, eu também vou estar por aqui. :)

Beijinho grande!*