Wednesday, March 13, 2013

O Coching e eu

Andava há uns meses a pensar seriamente nesta coisa de fazer coaching. Sou a eterna insatisfeita, estou constantemente à procura de algo mais, e agora, com 30 anos, encaminhada na vida, um emprego estável e muitos sonhos na bagagem percebo que não passo da adolescente de 16 anos que acreditava que tudo era possível. Em miúda quis fazer desenhos animados para a Disney, queria mais arte na minha vida, queria mais fantasia e imaginação. E sendo a única na família com estes talentos e vontades, não foi fácil encontrar estímulo, e ainda hoje passo uma boa parte da minha vida adulta a bater na dura parede da realidade. O que não quer dizer que me impeça de sonhar, ou de, aos poucos, ir trilhando alguns dos meus sonhos. 
Apenas há dois anos atrás eu estava bloqueada, desde aí comecei a pesquisar mais, descobri um mundo novo nessa internet fora, decidi aprender a costurar, pego na máquina e fotografo mais, apetrechei-me de material de desenho e pintura, explorei aguarelas e livros novos cheios de ideias que me abriram a mente. Agora chegou a altura de pôr ordem a tanta informação na minha cabeça e começar a tornar realidade algumas ideias que me surgem. E o coaching pareceu-me o caminho ideal.

Como disse, há duas semanas fiz um workshop de auto-coaching para criativos, e como tinha o bónus de um desconto simpático pela participação, decidi aproveitar. A coach, a Corina Madeira, é fantástica, também é uma designer, e no coaching movimenta-se com uma confiança que me fez sentir imediatamente à vontade. 
Alerto no entanto que este é um coaching para criativos, e esta experiência é muito minha e pessoal, mas nunca se sabe, as ferramentas de auto-avaliação que vou aprendendo podem ser úteis a alguém.
A primeira sessão foi simples, contei-lhe o meu percurso, as minhas inseguranças, os meus devaneios, as minhas mudanças de emprego, e toda esta vontade de criar algo mais, de fazer algo em meu nome. Ela ouviu atentamente, e ao perceber que: a) tenho um fraquinho por ilustração e b) ando a lutar pela minha saúde, em particular os meus problemas de ansiedade deu-me logo uma tarefa genial: ilustrar as coisas que me fazem relaxar, que fazem bem ao meu coração. Fiz uma lista de 14 opções e desenhei-as a todas, umas mais pormenorizadamente que outras, algumas com um toque de humor, e diverti-me como não o fazia há muito (ainda está por digitalizar, mas hei-de mostrar). 
Outra coisa que fiz foi listar coisas que gostaria de fazer na vida. Profissões e actividades que poderiam ser rentabilizadas. Nada que já não tivesse feito antes. O que nunca tinha feito, foi olhar com objectividade como fizémos hoje, e perceber que muitas das minhas vontades tinham pontos comuns e convergiam para um ou dois objectivos, que depois de polidos e orientados conseguimos unificar num só. E é simples. Faz-se uma lista, bem compridinha e começamos por seleccionar uns poucos que gostaríamos mesmo de fazer, e vamos ramificando. É simples organização e nunca nos passa pela cabeça quebrar os grandes objectivos em pequenos. E esse, creio, será o próximo passo. O meu novo trabalho de casa implica ter ideias, muitas ideias para tornar o meu objectivo realidade, e algumas já fervilham na minha cabeça, mas a lista vai ser longa e estou curiosa do que vou conseguir engendrar. Outra tarefa maravilhosa é apostar definitivamente num diário gráfico, andar com ele sempre comigo, e em breve vamos definir temas ou ideias para que eu vá criando uma rotina criativa.
Portanto nada disto é novo, se pensarmos bem. Muitos destes conceitos e ideias já bebia de blogs como o da Mayi e da April.
O que me entusiasma no coaching é que tenho alguém com quem me comprometo a fixar objectivos e a cumpri-los. Obriga-me a criar um fio condutor e a segui-lo. Sempre com a possibilidade de ser flexível, de eu mudar um pouco o meu objectivo, de manter a mente aberta a tudo o que me influencia. E dá-me uma sensação de possibilidade gigantesca. Não há nenhuma fórmula secreta, apenas estou a ser potenciada para fazer aquilo que quero, estou a acreditar que o posso fazer e posso explorar o que gosto. Daqui para a frente espero conseguir mostrar-vos progressos nas minhas actividades criativas. Para já posso dizer-vos que estou a adorar a experiência.

12 comments:

alva quase transparente said...

Acabo de concluir que preciso urgentemente de umas sessões de choaching. Urgente!!! Objectivos e listas já tenho. Mas manter-me no caminho sem desvios e distracções é dificil. Preciso de um coacher :)

Wise Up said...

Tenho andado para ver se faço algum workshop de coaching ou assim, para perceber o que é concretamente...

Este post já me deu umas luzes, obrigada pela partilha e boa caminhada! :)

Vera said...

E eu fiquei com a ideia: sentar-me e listar tudo o que gostaria de fazer na vida. Acho que a lista é enorme e nunca a fiz. Hum... tenho mm que fazer isso.

Mariana Mamede said...

Este foi a coisa mais inspiradora que li no teu blogue. Obrigado, obrigado. Estou aqui trancada em casa, com febre, sem ir às aulas, e como eu não gosto de parar já estava a passar-me. Li isto e parece que até a febre passou. Obrigado pelo teu testemunho Ana. Estou ansiosa por saber mais! E boa sorte, mereces toda do mundo :) Luta pelos teus sonhos *

Analog Girl said...

Se achas que é um bom investimento para ti força, eu confesso que estou rendida à simplicidade e à facilidade do processo. Tive alguns momentos complicados, em que fico a puxar pela cabeça e a pensar que opção escolher, qual a mais importante para mim? Mas a verdade é que depois de definir um objectivo sinto uma satisfação imensa e uma vontade de levar tudo mais longe. E fazer os trabalhos de casa é simples porque é o que quero mesmo. :)
Go girl!

Analog Girl said...

Um workshop é sempre uma boa ideia. Adoro workshops, e o de coaching que fiz foi bastante interessante e abrangente. De certeza que vais gostar! ;)

Analog Girl said...

É um exercício muito engraçado. Já o tinha feito o ano passado, e quando a coach me mandou fazer isso, fui rever o que tinha escrito e para além de ter lá ideias que já nem me lembrava também me faz pensar na minha versatilidade e ao mesmo o quanto uma área específica pode ser mais significativa para mim. :)
Experimenta e conta-me como foi! ;)

Analog Girl said...

Muito obrigada Mariana! Ainda bem que este post ajudou! :) Fico muito contente! Espero que estejas melhor entretanto.
Beijinho grande e muito obrigada mais uma vez pelas tuas palavras!*

anf said...

Olá Analog,
eu ando com vontade de uma coisa dessas, um dos problemas é o lugar onde morro, bem sei que com a internet tudo se consegue mas não deve ser a mesma coisa,

agora fiquei ainda mais tentada a ir em frente,


Analog Girl said...

Olá anf, com a internet há uma série de possibilidades. A minha coach, por exemplo, faz sessões através do skype. Se é algo que pensas fazer, garanto-te que é um bom investimento. Eu tive uma sessão ontem e amei, parece que a cada semana que passa estou mais informada e motivada! :)

Milk Woman said...

Ora, posso pegar neste post e fazer copy/paste no meu blog? Com a diferença que o meu percurso não é tão "artistico" (no sentido em que eu estudei Letras) como o teu, temos imenso em comum. E andava a pensar no coaching. E resolvi atirar-me. E vou começar. Espero meso que me ajude porque preciso de ter alguém que me "controle", caso contrário fica tudo no tinteiro (e na caixa dos tecidos, e no papel, e no envelope dos recortes...enfim...)

Analog Girl said...

Milk woman, claro que sim, sem problemas, apenas peço para referir de onde o tiraste. :)
O coaching é fantástico, anda a abrir-me tanto os horizontes e a ensinar-me a lidar com a minha criatividade... Aposto que vais adorar.